O que os vereadores disseram nesta quarta-feira, 16 de agosto

O jornal O Mirante publica, todos os dias, as falas que mais se destacaram no Legislativo joinvilense. Pode ser algo que foi dito na sessão ordinária, em alguma comissão ou até mesmo nas redes sociais. Acompanhe:

Tânia Larson (SD) pediu para que a população denuncie casos de maus-tratos aos animais à prefeitura (pelo telefone 156 ou pelo site da Ouvidoria). Ela explicou que o trabalho dela, enquanto vereadora, é fiscalizar as leis e os procedimentos, destacando que o dinheiro das multas pode ser revertido para medidas que promovam o bem-estar animal.

Mauricinho Soares (PMDB) comentou sobre o Fundam 2, tema da visita de Raimundo Colombo à cidade. Ele disse que os deputados estaduais vão contar com verbas de aproximadamente R$ 5 milhões para suas regiões. “Está na hora de os deputados daqui pensarem um pouquinho aqui na região”, disse o parlamentar, sugerindo que o dinheiro seja destinado a obras de pavimentação.

Richard Harrison (PMDB) voltou a disparar contra o governador Raimundo Colombo. Ele disse, na tribuna, que não vai à abertura do evento Muticom, da Igreja Católica, porque não divide o mesmo espaço com Colombo. Além disso, acrescentou que vai fazer campanha contra o governador se o lageano vier pedir votos para qualquer coisa. “Se precisar ficar de joelho, eu fico de joelho.”

Pouco atento à laicidade do Estado, o vereador Jaime Evaristo (PSC) usou o espaço do seu partido para convidar os presentes para um grande evento religioso que vai ocorrer em Joinville.

Na sessão desta quarta-feira (16), os parlamentares aprovaram a mudança de nome da Comissão de Participação Popular para a Comissão de Direitos Humanos. Tânia Larson (SD), que foi a autora da proposta, agradeceu os colegas e disse que a mudança vai proporcionar novos debates na CVJ. Rodrigo Fachini (PMDB) elogiou a medida e lembrou da criação do Centro dos Direitos Humanos de Joinville, atividade que contou com a participação de sua família.

Texto: Felipe Silveira
Foto: CVJ/Arquivo