Presidente volta atrás e Mogi Mirim tenta solução para continuar na Série C

Após afirmar que não disputaria mais a Série C, o Mogi Mirim, por meio do seu presidente Luiz Henrique de Oliveira, voltou atrás. No sábado, depois de perder por W.O. para o Ypiranga, o dirigente declarou ao site UOL que o campeonato havia acabado para o clube paulista.

“Falei o seguinte: se não vão entrar em campo, não tenho outra coisa a fazer se não apoiá-los. Mas acabou o campeonato hoje para nós. Só isso, o campeonato acabou”, disse Luiz.

Nesta segunda, o repórter esportivo Gabriel Fronzi, da rádio 89 FM, trouxe a informação de que o dirigente mudou o discurso. “Por mais difícil que esteja a situação que estamos enfrentando, não aventamos de abandonar a competição em respeito a todos participantes, torcedores, organização e principalmente ao espírito esportivo”, afirmou o presidente do Mogi.

Luiz Henrique de Oliveira deve se reunir com o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, até terça-feira para encontrar uma solução para a crise. Caso declare por escrito a desistência do campeonato, o clube paulista vai ter de cumprir dois anos de suspensão de competições organizadas pela CBF. As partidas envolvendo o clube paulista, caso a equipe peça para sair, serão desconsideradas.

Uma das soluções menos danosas ao Mogi seria perder novamente por W.O. na próxima rodada, o que causaria eliminação automática da Série C, sem caracterizar, desta forma, abandono do torneio. Assim, o clube não teria a punição de dois anos nem ficaria sem série no Campeonato Brasileiro. Este é o entendimento de especialistas em direito esportivo, mas que pode ser diferente dos órgãos oficiais de Justiça Desportiva.

Texto: Yan Pedro Kuhnen
Foto: Geraldo Bertanha/Mogi Mirim EC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *