Vereadores aprovam extinção da Amae

Um dos pontos da reforma administrativa do segundo mandato do prefeito Udo Döhler determina a extinção da Agêncua Municipal de Água e Esgoto (Amae) e o ingresso na Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), que fiscaliza vários municípios catarinenses. Nesta terça-feira (27), os vereadores aprovaram o Projeto de Lei 80/2017, que torna lei a proposta.

Com a mudança, os servidores da Amae serão distribuídos em outros órgãos da prefeitura. Os R$ 4.918.248,41 que estão no caixa da agência serão redirecionados para o Fundo Municipal de Meio Ambiente.

De acordo com o projeto, a Aris vai cobrar uma tarifa de R$ 0,12 por habitante por mês, para os serviços de água, e de R$ 0,06 por habitante por mês, para os de esgoto.

A Aris é um consórcio público, formada por 182 municípios catarinenses. A agência fiscaliza os serviços de água e esgoto da maior parte dos municípios do estado, a maior parte com serviços prestados pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan).

Texto: Felipe Silveira
Foto: Sabrina Seibel/CVJ
Informações: CVJ