Diorgenes Pandini retorna a Joinville com exposição sobre o cotidiano russo

O fotógrafo Diorgenes Pandini, que começou a carreira em Joinville, volta à cidade para abrir sua exposição nesta terça-feira (5), às 17 horas, no Instituto Internacional Juarez Machado (IIJM). Antes disso ele esteve na Rússia, país cujo povo e cotidiano estão retratados na mostra “РоссияRussia”. Gratuita, a exposição integra as comemorações do instituto pelo Dia Nacional da Cultura, celebrado neste dia 5.

Pandini, que trabalha no jornal Diário Catarinense, esteve no país bicontinental para cobrir a Copa do Mundo de 2018. Ainda não tinha em mente a exposição, mas sabia que queria fazer algo diferente, além da cobertura. Assim, passou os 36 dias com a câmera à mão, fotografando a festa futebolística pelo compromisso profissional e a vida russa com a intenção de usar o material em uma ideia que ainda não tinha chegado.

Recorte de foto que está na exposição “РоссияRussia”, de Diorgenes Pandini

Quando chegou no Brasil, teve contato com uma curadora que o ajudou a fazer uma seleção das fotos e elaborar a exposição. E foi neste processo, de construir uma narrativa a partir das fotos, junto à curadora Lucila Horn, que Pandini teve uma surpresa.

“Achei a gente muito mais próximos da Rússia do que eu imaginava, do que o estereótipo construído ao longo dos anos sugere”, revela o artista. Algo que a curadora reforça em texto sobre o trabalho.

“Esta exposição não é um documento sobre a Rússia, mas um recorte autoral e uma reflexão sobre o quanto são frágeis os estereótipos criados a partir da repetição do senso comum”, escreve Lucila Horn no texto de apresentação.

Montada no Espaço Biblioteca do IIJM, a mostra apresenta 20 fotografias que ilustram detalhes de uma Rússia contemporânea. Responsável pela agenda de exposições e diretor artístico do instituto, Edson Machado, destacou que “a exposição é uma inusitada crônica do povo russo moderno” e que “o resultado do olhar atento de repórter fotográfico do Diorgenes Pandini é criativo, verdadeiro e bem-humorado.”

Antes de Joinville, a exposição, que recebeu financiamento coletivo, passou por Florianópolis e Balneário Camboriú. Pandini conta uma história divertida a respeito da estreia. Quando um expositor ligou e perguntou se estava tudo pronto para abrir a mostra em um espaço de tempo curtíssimo, ele disse que sim, embora ainda não tivesse nada. Ali começou a correr atrás, lançando a campanha que foi abraçada por amigos e outras pessoas que ele nem conhecia. E outros apoios e patrocínios foram surgindo durante o processo.

Animado para expôr no Instituto Juarez Machado, ele lembra que já fotografou a abertura de uma exposição do instituto quando trabalhava na cidade e fica muito feliz por sua primeira mostra individual chegar ao local. E será o último, de acordo com os planos do fotógrafo, que podem mudar se surgirem novos convites. Outro motivo de expectativa é a possível presença do próprio Juarez Machado na abertura.

Diorgenes Pandini é natural de Itajaí e, com oito anos de experiência em fotojornalismo, já participou de coberturas marcantes como a Copa doMundo e a queda de avião da Chapecoense, na Colômbia. Foi fotógrafo no jornal A Notícia e hoje trabalha no Diário Catarinense, em Florianópolis. Já participou de exposições coletivas no BC Foto Festival, no Floripa na Foto e no Foto em Pauta, em Minas Gerais.

O Instituto Internacional Juarez Machado fica na rua Lages, 994, no bairro América. Abre, de terça a sábado, das 10 às 18h30, e, aos domingos e feriados, das 15 às 18h30. “РоссияRussia” fica em cartaz de 5 de novembro até 9 de fevereiro.

Obra que está na exposição “РоссияRussia”, de Diorgenes Pandini

Edição: Felipe Silveira
Foto no topo: Arquivo pessoal de Diorgenes Pandini

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *