Parte de Joinville pode sumir até 2050 por conta do aquecimento global, apontam cientistas

Um estudo publicado pela revista científica Nature Communications e citado pela Folha de S. Paulo aponta que 1,4 de milhão de brasileiros moram em áreas com riscos de inundações anuais, enquanto 1 milhão vivem em locais que podem ficar permanentemente inundados, por conta dos efeitos do aquecimento global. E Joinville está entre as cinco principais áreas de risco do Brasil.

As áreas de cidade que estarão sob risco ficam quase todas em volta da Baía Babitonga e dos canais. As outras quatro regiões são a Baixada Santista (SP), Caraguatatuba (SP), Rio de Janeiro (RJ) e São Luis (MA). Em Santos, segundo reportagem da Folha, a prefeitura comprou casas e realocou pessoas.

No mundo todo, segundo o estudo, 300 milhões de pessoas sofrerão com inundações crônicas, enquanto que até 2100 outras 200 milhões verão o mar inundar para sempre o local onde vivem. O autor principal do estudo afirma, de acordo com a Folha, que as mudanças climáticas podem remodelar cidades, economias, litorais e regiões globais inteiras durante nossa vida.

Os cientistas explicam que os fatores que ameaçam a população são a expansão da água à medida que o clima aquece, derretimento de camadas de gelo da Groenlândia e Antártida e as tempestades tropicais amplificadas pelo aquecimento da atmosfera.


Texto: Alexandre Perger
Foto: Wikipédia

8 comentários em “Parte de Joinville pode sumir até 2050 por conta do aquecimento global, apontam cientistas

  • 3 de Novembro de 2019 at 3 de Novembro de 2019
    Permalink

    Se a prefeitura de Joinville fizesse igual à Santos. Mas mal fecham uma cratera de 3 anos causada por eles mesmos, quem dera comprar casas das famílias…

    Reply
  • 4 de Novembro de 2019 at 4 de Novembro de 2019
    Permalink

    Isso só pode ser fake News! Olha a Fonte Folha de São Paulo…..
    Segundo a Folha o atual presidente nem era pra nascido..
    Isso aí é pra deixar as pessoas em desespero….
    Deus está no comando de tudo e nada devemos temer.

    Reply
    • 4 de Novembro de 2019 at 4 de Novembro de 2019
      Permalink

      “Um estudo publicado pela revista científica Nature Communications” essa é a fonte! A Folha de São Paulo provávelmento apenas foi o primeiro veiculo grande nacional a divulgar o estudo. Seu tanso

      Reply
  • 4 de Novembro de 2019 at 4 de Novembro de 2019
    Permalink

    Não duvido nada , tinha casa no Guanabara ,onde morei mais de 50 anos a água da mare ficava em longe nos últimos cinco anos começou a chegar perto de casa ,até que ano passado foi 20 centímetros dentro de casa ,agora moro em um lugar bem alto.

    Reply
  • 4 de Novembro de 2019 at 4 de Novembro de 2019
    Permalink

    Globo Repórter 25/07/2014. sim é verdade vai acontecer, mas se o povo parar de olhar o próprio umbigo e parar de assistir porcarias,olhar mais para o ambiente em que vivem, podem começar a cobrar soluções
    para adaptações dessas áreas.

    Reply
  • 4 de Novembro de 2019 at 4 de Novembro de 2019
    Permalink

    As pessoas deveriam cuidar mais do espírito para estar preparado para tudo que está por vir,isso é verídico,nao tem nem o que contestar,a mãe natureza buscando o que é dela,o porco do homem invadiu o mar é claro que uma hora vai ser cobrado👏👏👏

    Reply
  • 5 de Novembro de 2019 at 5 de Novembro de 2019
    Permalink

    acho de uma estupidez imensa os cientistas dizerem que se derreter o gelo vai inundar áreas pelo deretimento das geleiras. pelo amor de deus , a densidade e o peso dos iceberg´s já nivelam a agua hoje, se estiver derretido ou solido não muda em nada, coloque um pedaço de gelo em um copo com água, marque com uma caneta até onde vai o nável da água, depois de derretido veja se subiu a água. Eles tem que achar outra desculpa

    Reply
  • Pingback: Entenda por que Joinville pode sofrer com aumento do nível do mar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *