Saúde de Joinville convoca usuários de PA para vacina contra o sarampo

A Secretaria de Saúde de Joinville, por meio do Serviço de Vigilância Epidemiológica, convoca os pacientes e acompanhantes que estiveram no Pronto Atendimento (PA) Norte, no dia 18 de outubro (sexta-feira), entre 5h30 e 9 horas, e no dia 19 de outubro (sábado), das 22h30 à 1 da madrugada do dia 20 de outubro (domingo), a comparecerem a uma Unidade Básica de Saúde para verificar sua situação vacinal e, se necessário, tomar a vacina contra o sarampo.

O objetivo da orientação é fazer o bloqueio de eventuais novos casos, tendo em vista que nessas datas e horários, um paciente com suspeita da doença esteve em atendimento no PA Norte. De acordo com números atualizados do Setor de Imunização da SES, Joinville teve seis casos confirmados de sarampo – todos receberam tratamento e estão fora de perigo.

Vacinar é fundamental

O Serviço de Vigilância Epidemiológica reforça à população a importância de procurar uma Unidade Básica de Saúde para tomar a vacina contra o sarampo, única forma de prevenção da doença.

Até o dia 25 de outubro, ocorre a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, direcionada a crianças maiores de 6 meses de idade e menores de 5 anos. Além do público-alvo da campanha, também devem se vacinar pessoas com menos de 49 anos, inclusive as que não têm certeza se já foram imunizadas. O tempo de ativação imunológica da vacina é de 15 (quinze) dias.

O sarampo é uma doença infecciosa grave, que pode levar à morte. É altamente contagioso e, um único doente, pode transmitir a doença para até 18 pessoas. A transmissão ocorre pelo ar, quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Os sintomas iniciais assemelham-se ao resfriado, com febre, coriza e tosse. Em seguida, surgem irritabilidade nos olhos e manchas vermelhas no corpo.

A orientação a indivíduos com sintomas da doença é que evitem locais com grande aglomeração de público, como cinemas, shoppings e supermercados. O mesmo vale para bebês com menos de seis meses de idade, já que não são imunizados e ficam mais vulneráveis ao contágio.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Agência Brasil
Informações: Prefeitura