Museu da Imigração apresenta “Mala dos Viajantes” na 13ª Primavera de Museus

Como parte da programação da 13ª Primavera de Museus – evento nacional realizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), de 23 a 29 de setembro, o Museu Nacional da Imigração e Colonização de Joinville (MNIC) realiza nas escolas o projeto “Mala dos Viajantes”.

Na oficina “Mala dos Viajantes” a equipe de educadores e monitores do MNIC leva às escolas uma mala antiga contendo cerca de vinte objetos diversos – muitos deles já obsoletos e em desuso – incluindo utensílios de cozinha, louças, artigos de uso pessoal, equipamentos de som e imagem, entre outros.

Após uma dinâmica sensorial, os alunos e professores identificam os objetos e passam a relacioná-los com memórias familiares, com o cotidiano e com a própria história do museu. De acordo com a educadora do Museu Nacional da Imigração e Colonização, Elaine Cristina Machado, a inclusão da “Mala dos Viajantes” na 13ª Primavera dos Museus vem ao encontro do tema do evento deste ano, que é “Museu por dentro, por dentro dos museus”.

Um dos locais visitados pela “Mala dos Viajantes” foi a Escola Municipal Enfermeira Hilda Anna Krisch, no bairro Jardim Iririú. Na turma de 3o ano do Ensino Fundamental, as crianças tiraram da mala objetos inusitados e muitas vezes desconhecidos por elas.

O pequeno Edivilson Gabriel, de 9 anos, vivenciou a proposta da atividade ao retirar da mala um espremedor de limões. “Uma vez eu estava ruim de gripe e minha mãe fez um chá de limão usando um espremedor, mas estava quebrado. O chá era ruim, mas valeu a pena porque eu melhorei”, contou.

Outras atividades

Além da “Mala dos Viajantes”, o Museu da Imigração e Colonização de Joinville realiza outras duas atividades dentro da programação. Idealizada especialmente para o evento nacional, o MNIC vai realizar no dia 25 de setembro (quarta-feira), nos períodos matutino e vespertino, a visita monitorada à reserva técnica do museu.

E a terceira atividade realizada pelo MNIC durante o evento será o projeto “Percursos da Memória”. Com cerca de 1,2 quilômetro de extensão, o trajeto é feito a pé, com saída do MNIC e leva cerca de duas horas e meia para ser concluído. O roteiro é acompanhado por dois monitores do museu e inclui locais como a Rua das Palmeiras, a Rua do Príncipe, Praça Nereu Ramos, Praça da Bandeira e termina no Cemitério do Imigrante.

Em cada local, o grupo faz paradas e recebe explicações sobre a história de diversos imóveis tombados, sobre detalhes arquitetônicos, símbolos entalhados em fachadas e elementos que caracterizam as diferentes etnias de imigrantes que ajudaram a construir a identidade cultural de Joinville.

Como participar

A oficina “Mala dos Viajantes” e o “Percursos da Memória” são projetos educativos criados pelo MNIC e que acontecem durante todo o ano. As atividades são gratuitas e abertas a escolas, instituições, entidades, grupos e associações. Já a visita monitorada à reserva técnica ocorre exclusivamente no dia 25, durante a temporada da 13ª Primavera de Museus. O agendamento de todas as atividades deve ser realizado diretamente com a equipe do MNIC, pelo telefone (47) 3453-3499 ou pelo e-mail educativo.mnic@joinville.sc.gov.br.

Outros museus

Estação da Memória
Ocorre na quinta-feira (26), o evento “Encontro com a Memória”, das 14h30 às 17 horas, na Estação da Memória (rua Leite Ribeiro, no bairro Anita Garibaldi). O evento vai reunir ex-ferroviários que trabalharam em Joinville e região e seus familiares, e tem como objetivo resgatar antigas histórias vivenciadas por esses trabalhadores; discutir como a cidade se relaciona atualmente com a Estação da Memória; fazer uma retrospectiva da transformação pela qual o espaço vem passando no decorrer dos anos; e, ainda, confrontar as memórias que os veteranos guardam do lugar, com a imagem que a Estação da Memória possui agora.

Museu Arqueológico de Sambaqui
De 23 a 29 de setembro, das 10 às 16 horas, ocorre a ação educativa “Por Dentro da Arqueologia”, no Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville (MASJ), que fica na rua Dona Francisca, 600, no Centro. Durante o período, as escolas, grupos e visitantes espontâneos que forem ao Museu Arqueológico de Sambaqui serão convidados a participar de uma visita monitorada à reserva técnica e ao laboratório do MASJ, tendo a oportunidade de conhecer o trabalho interno realizado pela equipe e a forma como o acervo é acondicionado.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Phelippe José/Prefeitura
Informações: Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *