Criador do Psicodália lança novo festival na região

Há poucos dias foi divulgado o cancelamento do Psicodália 2020, que ocorria há vários anos na Fazenda Evaristo, em Rio Negrinho. Porém, os fãs e frequentadores do evento não precisam lamentar. Um novo encontro já está marcado. O Festival Libélula, de 27 de dezembro a 1º de janeiro, será uma imersão em meio a mata atlântica com música, intervenções artísticas, peças de teatro, oficinas, recreação infantil e muito mais.

Arte de Diego Perin/Divulgação

A organização do evento é de Alexandre Osiecki, um dos organizadores do Psicodália. O novo festival ocorre na Reserva Ecológica Terraiz Castelhanos, uma chácara na Colônia Castelhanos, em São José dos Pinhais.

As vendas dos ingressos começam dia 7 de outubro, no site do Libélula. Os ingressos do primeiro lote custaram R$ 200. Quem comprar nos dois primeiros dias de venda vai ganhar, segundo a organização, um “mimo”.

O festival segue com uma proposta de reflexão ambiental. “A imersão em uma natureza quase virgem nos coloca em uma reflexão imediata sobre o mundo, os excessos que cometemos na cidade e como podemos agir pra diminuir o impacto do consumismo no meio ambiente”, Alexandre Osiecki, que esteve na direção de 22 edições do Psicodália.

O Libélula vai acolher menos de 1⁄6 da quantidade de pessoas que o Psicodália recebia. Segundo o idealizador de ambos os festivais, há algum tempo as pessoas vinham lhe lembrar o tempo em que o Psicodália era menor, pedindo algo em um formato mais reduzido.

Cerca de 20 bandas autorais devem se apresentar nos palcos do festival. A organização também incentiva artistas independentes a levarem seus instrumentos e apresentarem ao públicos eu som no formato desplugado. Esta primeira edição não terá inscrições para atrações musicais, pois a seleção será mais local e voltada para bandas locais engajadas. Quem deseja ministrar uma oficina ou apresentar sua peça deve ficar ligada nas inscrições que começam dia 14 de outubro.

A Reserva Ecológica Terraiz Castelhanos possui estrutura para camping, rios de pedra e de argila, cachoeiras, trilhas e belas paisagens da Serra do Mar. A 73 quilômetros de Joinville e a 81 de Curitiba, a chácara fica localizada em uma área de preservação ambiental. Os proprietários da área são produtores de alimentos orgânicos. As verduras, legumes e frutas retiradas da agrofloresta serão alguns dos ingredientes das refeições oferecidas pelo festival e também estarão à venda para o público.

O Libélula Festival terá três palcos, sendo um deles livre. Osiecki explica que é preciso abrir espaço para artistas de rua, pessoas que tem sido repreendidas constantemente por apenas apresentarem seu som em espaços públicos.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Thais Penteado/Divulgação
Informações: Assessoria