Controladoria Geral do Estado realiza auditoria em hospitais de Santa Catarina

A Controladoria Geral do Estado (CGE) realizou, no domingo (8), auditoria nos serviços terceirizados de lavanderia e locação de enxoval em cinco hospitais da Grande Florianópolis. O mesmo trabalho será feito, durante a semana, nos maiores hospitais de Santa Catarina. Os serviços custam, em todo o estado, cerca de R$ 23 milhões por ano.

“O objetivo dessa verificação é o cumprimento do contrato. Este é um serviço importante para a área da saúde e que demanda um recurso significativo”, disse o controlador-geral do Estado, Luiz Felipe Ferreira. Neste domingo, os hospitais auditados foram o Hospital Infantil, Maternidade Carmela Dutra, Hospital Celso Ramos, Hospital Regional de São José e Instituto de Cardiologia.

A primeira conferência é feita nas balanças, já que o serviço é pago de acordo com o peso das roupas e enxovais. Além disso, existe uma verificação dos serviços prestados e também no material entregue. “Assim, podemos saber se as empresas estão atendendo os requisitos previstos no contrato. Com esse trabalho, nós garantimos o correto uso do dinheiro público e cumprimento do serviço para população”, disse o controlador.

O trabalho tem o apoio do Instituto de Metrologia do Estado (Imetro), que é o responsável por verificar o correto funcionamento das balanças que pesam o enxoval e roupas. A supervisão de todo o trabalho é feita pelos auditores do governo.

“Em caso de irregularidade, a gente comunica a unidade hospitalar, a empresa contratada e também a Secretaria da Saúde. Dessa forma, eles podem rever o contrato e adaptar o serviço para atender melhor a população e diminuir custos para o Estado”, disse César Fernando Cavalli, auditor interno do poder executivo.

A Controladoria Geral do Estado é responsável por acompanhar todas as despesa públicas. Isso pode acontecer em hospitais, escolas ou qualquer obra de responsabilidade estadual. Segundo o controlador, esse serviço de auditoria não se limita ao horário comercial. “O que nós precisamos entender é que o estado funciona, em algumas ações, 24 horas por dia. É impossível um setor de controle atender demandas só em horário comercial. Isso significa que outros trabalhos vão acontecer independente do dia, horário e local”, comentou.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Julio Cavalheiro/Governo de SC
Informações: Governo de SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *