Escola do Teatro Bolshoi realiza espetáculo sobre mulheres

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil vai apresentar, nos dias 21 e 22 de agosto, às 20 horas, o espetáculo “Gala Bolshoi, Mulher, História e Poesia”, no Teatro Juarez Machado. Os ingressos, que custam R$ 40, estão à venda pela internet e na recepção da escola.

No programa, a escola apresenta a história de duas mulheres: Raymonda e Ariana, personagens inspiradoras e fortes, cada uma a seu tempo. Raymonda é um clássico do balé de repertório e Ariana é uma obra contemporânea, da coreógrafa mineira Cassi Abranches.

No primeiro ato, cerca de 55 alunos e bailarinos do Bolshoi Brasil apresentam o III Ato de “Raymonda”. O balé se passa na idade média, na época das cruzadas, e narra a história de Raymonda, uma mulher fascinante e que tem seu amor disputado por dois homens: um príncipe cristão e um cavaleiro sarraceno. Em um duelo Jean de Brienne, o príncipe ganha o direito de casar com sua amada. O III Ato retrata uma grande festa, que acontece no parque do castelo de Jean de Brienne, e celebra o casamento de Jean e a protagonista Raymonda, abençoados pelo rei Andrei II. A comemoração termina com um baile húngaro em homenagem ao rei.

Esse ato é considerado o destaque da obra, pois traz ao palco, majestosos figurinos e fortes interpretações com as coreografias de dança a caráter, demi-caráter e o mais puro clássico com os pas classique. A cenografia retrata o salão de festa de um palácio. Adereços confeccionados em metal e madeira compõe a obra. Os figurinos foram criados no ateliê da Escola Bolshoi. A coreografia é de Marius Petipa e os ensaios foram coordenados pelos professores russos e brasileiros da Escola Bolshoi.

Trabalho da coreógrafa Cassi Abranches com bailarinos da Cia. Jovem Bolshoi Brasil – Foto: Manuela Schneider/Divulgação

No segundo ato, o trabalho contemporâneo “Ariana”, criado em 2012 pela coreógrafa Cassi Abranches para a Cia. Jovem Bolshoi Brasil, é inspirado no poema de Vinícius de Moraes “Ariana, a Mulher”. Uma narrativa distinta, marcada pela procura da etérea mulher Ariana, que está em todos os lugares e é representada por todas as coisas que norteiam e surgem ao narrador ao longo de sua história. Encantada com a obra, Cassi Abranches iniciou a pesquisa para transformar o poema em dança e, assim, trouxe aos bailarinos da Cia. Jovem a experiência de dar vida às mais diversas formas da personagem. Em 2019, a coreógrafa esteve na Escola Bolshoi para remontar o trabalho, agora com outros bailarinos.

Embalada por músicas de conceituados compositores brasileiros, como o musicista clássico Marlos Nobre, o pianista André Mehmari e os percussionistas Naná Vasconcelos e Marcos Suzano, “Ariana” se torna um trabalho genuinamente brasileiro e inspirador.


Edição: Felipe Silveira
Foto no topo: Taylor Abá/Divulgação
Informações: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *