Após três anos de espera, prefeitura retoma atendimento pediátrico no PA Sul

Interrompido desde junho de 2016, quando obras de ampliação foram iniciadas na unidade, o PA Sul teve o serviço de pediatria retomado pela prefeitura. Desde então, o atendimento que era prestado no local foi unido ao que era realizado pela UPA Leste, localizada no bairro Aventureiro. O retorno ocorreu após diversos pedidos da comunidade, de vereadores  e da vereadora mirim Laura Caroline Motta.

Em encontro realizado entre os mirins e o chefe do Poder Executivo, no início deste mês, a menina, que estuda na Escola Municipal Nelson de Miranda Coutinho, no Jarivatuba, próxima à UPA Sul, pediu que fosse realizado um concurso público para a contratação dos médicos.

Na ocasião, Udo Döhler (MDB) reconheceu a necessidade de médicos da área e assegurou que o município estava estimulando a vinda deles. Ele chegou a dizer que, “se alguém conhecer um pediatra, é só passar na prefeitura e avisar que nós contratamos”.

Na semana seguinte ao encontro, a prefeitura anunciou que o atendimento pediátrico retornava à Unidade de Pronto Atendimento Sul (UPA Sul, mais conhecida da população da zona sul como PA do Itaum ou PA Sul).

De acordo com a prefeitura, foram contratados sete pediatras e oito clínicos para a unidade, de forma a realizar um atendimento de 24 horas. Conforme o Portal da Transparência, em junho havia 36 pediatras concursados e 16 por contratos temporários atuando nas unidades de saúde da Prefeitura.

Antes de Laura, um grupo de pais do Floresta, indignados com os 12 quilômetros, participou de um a reunião da Comissão de Saúde para pedir o restabelecimento do serviço de pediatria no PA Sul.

Na ocasião, o secretário da Saúde, Jean Rodrigues da Silva, explicou que a decisão de centralizar o atendimento especializado em pediatria no PA Leste estava acompanhando a maior disseminação do modelo de atendimento do Estratégia de Saúde da Família (ESF) no distrito sul (região desenhada pela Secretaria de Saúde para planejamento do atendimento em saúde).

O modelo do ESF prevê principalmente estratégias de prevenção de doenças, sendo por isso formado por médicos generalistas. Quando há situações mais graves, esses médicos redirecionam os pacientes para especialistas, entre eles os pediatras.


Edição: Alexandre Perger
Informações: CVJ
Foto: Mauro Arthur Schlieck/CVJ

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *