Bolsonaro manda um abraço para joinvilenses

A pedido do deputado federal Rodrigo Coelho (PSB), o presidente Jair Bolsonaro mandou um abraço aos joinvilenses e catarinenses. Com uma frase um pouco confusa, ele lembrou que o estado foi o primeiro a lhe dar a liderança nas pesquisas. E agradeceu a confiança. Segundo nota à imprensa, Coelho pediu atenção do presidente às obras de duplicação da BR-280.

De fato, a aprovação de Bolsonaro foi muito expressiva na cidade e no estado. Santa Catarina foi o estado que deu a maior votação a Bolsonaro no primeiro turno (65,82%) e a segunda maior no segundo (75,92%). Em Joinville, no segundo turno, Bolsonaro obteve 262.556 votos (83,18%) contra 56.088 (16,82%) para Fernando Haddad (PT).

Em nota à imprensa, Coelho também destacou a reunião que teve com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, cada vez mais enrolado na #Vazajato. Matéria publicada pela revista Veja e pelo jornal The Intercept Brasil nesta sexta-feira (5) mostram que, enquanto juiz, Moro orientava ilegalmente ações da Lava Jato.

Coelho não publicou nada sobre os novos vazamentos, mas defendeu Moro em entrevista recente à Rádio Clube, normalizando o diálogo entre as partes (defesa e acusação) e juízes. “As mensagens que saíram, se forem verdadeiras — porque não tem como comprovar, já que houve uma invasão, um hacker, bem provável —,  não tem nada demais”, disse. Veja o vídeo.

A #Vazajato, porém, mostra que o comportamento de Moro, enquanto juiz, ultrapassava qualquer limite ético, atuando como chefe da acusação. Saiba mais sobre os vazamentos aqui, no especial do The Intercept Brasil.

Além de Coelho, Sérgio Moro recebeu os deputados federais Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Efraim Filho (DEM-PB). O joinvilense salientou o apoio ao chamado Pacote Anticrime e fez dois convites ao ministro: para que Moro prestigie a 37ª edição do Festival de Dança de Joinville e que faça uma visita para constatar a superlotação no Presídio Regional, além de conhecer a Penitenciária Industrial.

“Joinville necessita de mais atenção e rápida solução para que a segurança de mais de um milhão de habitantes da região seja tratada com prioridade e respeito”, disse.

Outro assunto que também pautou este último encontro foi o Projeto de Lei Complementar 439/2017, do qual o parlamentar é relator. A proposta trata dos fundos de Previdência Complementar deficitários, como a PETROS. Coelho levantou a possibilidade do Ministério da Justiça emitir um parecer técnico sobre o referido projeto.


Texto: Felipe Silveira
Vídeo: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *