Agricultoras prestigiam o Encontro Municipal das Mulheres Rurais

Mulheres das regiões rurais de Joinville se confraternizaram e se integraram durante o 23º Encontro Municipal das Mulheres Rurais, na quarta-feira (26), em um dos salões de eventos do Restaurante Rudnick, em Pirabeiraba. Mais de cem mulheres dos 17 Grupos de Desenvolvimento Rural de Joinville participaram do evento.

O encontro foi realizado pela Unidade de Desenvolvimento Rural (UDR) da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama). Pela manhã, Andreia Monteiro, mentora de negócios para mulheres e idealizadora do Fórum do Empreendedorismo Feminino, falou sobre empreendedorismo para a mulher rural.

A psicóloga Jaqueline de Prado palestrou sobre a autoestima. Ela contou que entre 80 e 90% dos clientes que atende em sua clínica são mulheres. Durante a palestra, questionou o que as mulheres estão fazendo para si mesmas.

Segundo Maria de Fátima Schlickmann, uma das instrutoras do evento, alguns grupos têm mais de 30 anos de existência e as atividades ajudaram a mudar o relacionamento destas mulheres nas comunidades rurais.

“São elas que seguram as pontas. Se a mulher não estiver no apoio, o marido não permanece na agricultura. Queremos trazer estas mulheres para o meio social e valorizá-las”, comenta Fátima, que também destacou o protagonismo de muitas delas ao administrarem sozinhas propriedades e se capacitarem por meio dos cursos oferecidos pela UDR e concluir os seus estudos.

Dos 17 grupos, três já registraram CNPJs e estão administrando suas empresas de artesanato, além de serem as responsáveis pelas festas do Arroz, Polenta, Banana, que estão no calendário turístico de Joinville.

Para Melandia Phelippe, de 70 anos, participar do grupo vai além de aprender técnicas de artesanato. A moradora do Jardim Paraíso, participa há dez anos de um dos grupos e contou com o apoio das companheiras do grupo quando sofreu uma perda familiar.

“Eu perdi meu filho há cinco anos, e a amizade e o companheirismo me ajudaram na recuperação do meu psicológico. Vale a pena passar o dia aqui, pois saímos com a cabeça aliviada e aprendemos muito. Sozinha a gente não consegue”, contou.

Os Grupos de Desenvolvimento Rural se reúnem em diversos bairros da cidade, nas regiões rurais, ocupando, geralmente, galpões de igrejas locais. Nos grupos, são desenvolvidas técnicas de artesanato, como crochês, pinturas em tecido, tricô e também recuperando a tipicidade do bordado alemão, com o foco no desenvolvimento e geração de renda.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Phelippe José/Prefeitura
Informações: Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *