Servidores aceitam proposta de parcelamento da Prefeitura

Servidores públicos de Joinville aprovaram na manhã de sexta-feira (14) o resultado das cinco rodadas de negociação salarial com a Prefeitura. Eles aceitaram a última proposta de reajuste: 2% em julho, 2% em setembro e 1,07% em outubro, retroativo a maio de 2019. No mês de outubro, a Prefeitura ainda paga a variação da inflação retroativa a data-base da categoria, repondo integralmente a perda salarial.

A proposta inicial do prefeito Udo Döhler, 3% parcelado em duas vezes, foi considerada um deboche pela nova direção do Sindicato dos Servidores Públicos de Joinville e Região (Sinsej), eleita no início deste ano, com a professora Jane Becker na presidência. A primeira rodada de negociação ocorreu no dia 2 de maio.

A segunda proposta — pagamento integral da inflação (5,07%) em três parcelas, sendo 2% em julho, 2% em setembro e 1,07% em novembro de 2019 — também foi rejeitada em assembleia, no dia 29 de maio. Como resposta, a categoria aprovou uma paralisação para o dia 14 de junho, somando-se à chamada Greve Geral, uma paralisação nacional contra os cortes na educação e contra a reforma da previdência de Jair Bolsonaro.

Antes disso, a direção do Sinsej e o prefeito se reuniram mais uma vez, no dia 11 de junho, data em que Döhler apresentou a proposta aprovada na assembleia de sexta-feira (14).

Além da negociação salarial, o Sinsej também divulgou a conquista de outras reivindicações durante a campanha salarial, como a reposição da inflação (5,07%) e ganho real de 0,93% no vale-alimentação. O pagamento das horas extras para uma série de servidores também conquistado, entre outras pautas. O sindicato também disse que outros pontos continuarão em negociação com a Prefeitura.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Sinsej

Um comentário em “Servidores aceitam proposta de parcelamento da Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *