Vilfred Schapitz apresenta alternativas para o futuro do JEC

Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (4) na Arena, o presidente do Joinville, Vilfred Schapitz, afirmou que enviará um projeto de terceirização do futebol (nos moldes de como ocorre com o futsal) para a aprovação do Conselho Deliberativo.

A proposta é transferir o futebol profissional para um outro CNPJ, como hoje é feito com o futsal. Segundo Vilfred, hoje o clube possui o CNPJ principal, chamado de”001″, o do futsal, chamado “002” e o das categorias de base, chamado “003”. Existe a possibilidade do CNPJ “004“, que hoje é de uma das lojas do clube, mas pode ser estendido ao futebol profissional. Ainda de acordo com o presidente, a medida daria mais crédito junto aos investidores, que teriam a certeza de que qualquer montante aplicado no clube será gasto exclusivamente com o futebol. A ideia é abrir espaço para que um parceiro se aproxime do clube para gerir o departamento, assim como a Krona faz com o futsal.

A ideia é utilizar o atual CNPJ principal apenas para o pagamento de dívidas com fornecedores, ações trabalhistas, empréstimos. A renda para bancar esses valores viriam das mensalidades dos cerca de 2.600 sócios, patrocinadores, Timemania, entre outras fontes.

O mandatário tricolor fez questão de frisar que a terceirização do departamento de futebol não se estenderá para o resto do clube.

Copa Santa Catarina com a base

Do elenco que disputou a Série D, 16 atletas teriam seus contratos encerrados após a competição. Com a eliminação, o JEC tenta antecipar a saída dos atletas, através de acordos amigáveis. O goleiro Jefferson foi o primeiro a deixar o clube nesses molde. Restariam apenas seis jogadores que não são oriundos da base tricolor para a Copa SC. Vilfred afirma que tentará negociar esses atletas e que o clube disputará a “copinha” com um elenco de atletas formados no clube. “Hoje temos 22 atletas da base profissionalizados. A folha desses atletas é de R$ 60 mil. Será esse o time para a Copa Santa Catarina. Os atletas do elenco atual que não conseguirmos negociar, também estarão a disposição”, afirmou.

O presidente ainda deixou claro que o técnico Danilo Portugal só não segue no cargo para o restante da temporada se não quiser.

Investimento na base

As categorias de base, alocadas no CNPJ “003”, também irão receber um investimento do clube. O Tricolor busca 30 parceiros que aportem R$ 5 mil no departamento de formação de atletas. O dinheiro é colocado no clube sem contrapartidas, na forma de doação.

Diretores voltam ao clube

Nas próximas semanas, diz Vilfred, é possível que se concretize a contratação de um diretor geral, uma obrigação do novo estatuto em vigor desde janeiro deste ano. O presidente também anunciou a volta de alguns diretores que haviam deixado o clube, casos de Luiz Fernando Bublitz (diretoria de Planejamento), que terá o auxílio de Paulo Neumann. Fernando Ferreira será o novo Diretor de Patrimônio e Vilson Martins assumirá a diretoria de Relações Institucionais.

Presidente confirma saída, mas não diz quando

Marco Polo Cunha (à direita) é o vice-presidente do clube – Foto: Gabriela Bento/JEC

Vilfred Schapitz confirmou que deve deixar a presidência do Joinville, mas não estipulou uma data. O presidente afirmou ter problemas de saúde e que tem a intenção de se afastar do cargo. Porém, disse que permanecerá na cadeira presidencial enquanto for necessário. Vilfred ainda reiterou sua confiança no vice, Marco Polo Cunha, que tem o direito de assumir o posto após sua saída.


Texto: Vitor Forcellini e Yan Pedro
Fotos: Gabriela Bento/JEC

Um comentário em “Vilfred Schapitz apresenta alternativas para o futuro do JEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *