Joinville se mobiliza para paralisação nacional pela educação

Estudantes e professores do ensino básico, superior, público e privado de Joinville vão aderir à paralisação nacional pela educação marcada para esta quarta-feira (15). Dois atos estão marcados: às 15 horas, na Praça da Bandeira, e às 19 horas, na frente da Univille e da Udesc. O movimento se opõe aos cortes no orçamento destinado às universidades e institutos federais e à educação básica.

A regional de Joinville do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte) chama para o ato da tarde. Durante todo o dia, os trabalhadores em educação da rede estadual da cidade estão convocados a paralisar, aderindo ao chamado de greve nacional feito pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

O Sinte também se posiciona contra a Reforma da Previdência. “Esta reforma retira direitos de todos os brasileiros, mas em especial do magistério, obrigando professores a trabalhar até dez anos a mais e sem a garantia da remuneração de 100% do seu salário”, explicou a coordenadora regional do Sinte, Clarice Erhardt.

Os centros acadêmicos de História e de Biologia (CALHEV e CABio) da Univille e o centro acadêmico de Física (CAFI) da Udesc organizaram, na noite de segunda-feira (13), uma assembleia em que foi deliberada adesão à greve geral desta quarta. Eles vão participar dos dois atos, da tarde e da noite. A palavra de ordem é “nenhum centavo a menos na educação pública”.

Também confirmaram presença na paralisação estudantes do IFC de Araquari e do IFSC Joinville, que já realizaram manifestações contra os cortes na semana passada.

Estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em Joinville também vão participar das atividades. Eles realizam uma série de atividades durante a manhã e saem em passeata, às 13 horas, no campus em direção à Praça da Bandeira, quando se somam à manifestação. A decisão do movimento estudantil foi tomada em assembleia (foto).

Udesc de Portas Abertas

A Udesc também vai realizar o evento Udesc de Portas Abertas (UPA), abrindo suas portas para cerca de 800 estudantes de ensino médio que sonham em poder cursar uma universidade pública, gratuita e de qualidade como a Udesc. O evento já estava agendado desde o início do ano. Durante o dia, a Udesc exibirá cartazes de protesto e os monitores do evento utilizarão faixas pretas nos braços para demonstrar o descontentamento da comunidade acadêmica com o projeto do governo.

“Queremos que os alunos de ensino médio conheçam uma universidade pública e de excelência, que tenham acesso a formas de ingresso e cursos da Udesc Joinville e vejam como é apaixonante a área de Exatas”, disse a diretora de Extensão da instituição, Cinara Menegazzo.


Texto: Felipe Silveira
Foto: Divulgação

Um comentário em “Joinville se mobiliza para paralisação nacional pela educação

  • 15 de Maio de 2019 at 15 de Maio de 2019
    Permalink

    Gostaria de saber se nesta paralisação serão discutidos e mostrados os verdadeiros números do contingenciamento financeiro??
    Certo que não, esta é puramente ideológica esta manifestação.

    Reply

Responder a Felipe Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *