Joinville decepciona e fica no empate com o Maringá na Arena

Apesar da derrota na estreia, a expectativa do torcedor do Joinville era boa para o duelo diante do Maringá, neste sábado (11), na Arena. Mas a torcida saiu do estádio decepcionada mais uma vez. Com dois tempos distintos, uma coisa prevaleceu no duelo: a falta de gols. O empate deixa o clube em situação preocupante na tabela e a pressão aumenta para as próximas rodadas.

As notícias ruins para o Tricolor começaram antes da bola rolar. O lateral-direito Ângelo, que faria sua estreia com a camisa do JEC, sentiu um desconforto muscular e foi cortado da partida. No seu lugar, entrou João Ananias.

No início de jogo logo se viu que a formação com Wellington Rato como articulador não funcionou. O time era muito lento na transição da defesa para o ataque e errava muitos passes. Jean Silva e Felipe Alves, jogando pelas pontas, não conseguiam criar boas chances. O Maringá se fechava na defesa e aproveitava todas as jogadas para ganhar tempo, satisfeito com o empate. Sem conseguir envolver a defesa adversária, o Joinville só ameaçou em chute de fora de Rato e em um cabeceio de Luan, aproveitando cobrança de escanteio. Porém, o placar ficou no zero e o time saiu vaiado no intervalo.

Felipe Surian voltou do banco com duas mudanças: Eduardo Person no lugar de Leandro Bulhões e Giba na vaga de Rato. E as alterações surtiram efeito. O Tricolor melhorou no jogo e encurralou o Maringá no campo de defesa. Giba deu outra dinâmica ao time e foi dele a primeira grande chance do segundo tempo. Após receber bom passe na área, o meia finalizou, mas o goleiro André Ferlini abafou bem. Logo depois Giba cruzou para Hugo Almeida, sozinho na pequena área, errar o cabeceio e perder a melhor chance do jogo. Hugo ainda teria mais uma oportunidade, após belo passe de Eduardo Person, mas parou em Ferlini.

Com o passar do tempo o impeto joinvilense foi diminuindo e as chances apareciam apenas em chutes de fora da área e bolas paradas. O Maringá até teve chance de encaixar alguns contra-ataques, mas desperdiçou todas as suas oportunidades sem levar muito perigo. Para piorar, Erick Daltro sentiu e deu lugar ao estreante David Batista, fazendo com que Giba fosse deslocado para a lateral- esquerda. A mudança acentuou ainda mais o buraco no meio campo ofensivo do JEC, que tentava pressionar na base do abafa. Quase no último lance, Felipe Alves teve boa chance, mas bateu fraco, facilitando a defesa do goleiro.

Quando o árbitro apitou o fim de jogo, mais vaias para a equipe da casa. Com apenas um ponto em dois jogos, o Joinville já vai para a próxima rodada com a necessidade de vencer. O próximo jogo será diante do Avenida, em Santa Cruz do Sul/RS, no domingo (19). Já o Maringá chegou ao seu segundo empate na competição e agora recebe a Ferroviária mo sábado (18).

Texto: Vitor Forcellini
Foto: Júlio Cesar/JEC

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *