Agentes de saúde realizam ação educativa sobre o Aedes aegypt em escola

Equipes de agentes comunitários de saúde da Unidade Básica da Saúde da Família (UBSF) Bakitas e de agentes de combate a endemias da Vigilância Ambiental realizaram, nesta quinta-feira (9), ações educativas sobre o mosquito Aedes aegypti, na Escola Municipal Governador Heriberto Hülse, no bairro Boa Vista.

O trabalho de conscientização faz parte do programa Saúde na Escola e ocorre pelo terceiro ano consecutivo, com o objetivo de auxiliar no combate ao inseto. As ações são realizadas em parceria entre a Secretaria da Saúde (SES) e a Secretaria da Educação (SED).

Ao todo, 11 turmas de terceiros, quartos e quintos anos do ensino fundamental dos períodos da manhã e tarde participam da ação educativa. Primeiro as turmas recebem uma palestra realizada por um agente de combate a endemias, que fala sobre o mosquito e mostra aos alunos os quatro estágios do desenvolvimento das larvas, com o auxílio de um telescópio. Depois, um enfermeiro da UBSF Bakitas fala sobre os cuidados para se manter longe do mosquito e não ser infectado pelas doenças transmitidas pelo vetor.

Após as palestras rápidas, as crianças participam de um circuito de combate à Dengue. Passam por obstáculos formados por pneus e barreiras montadas pela equipe da UBSF e têm que colocar o lixo encontrado no percurso dentro de uma lixeira para recicláveis ao fim do circuito, para que não acumule água parada. Mas os alunos devem ficar atentos para não serem picados pelo mosquito gigante, representado por uma das agentes comunitárias de saúde, que os persegue durante o trajeto.

O enfermeiro Sérgio Luiz Silva, da UBSF Bakitas, foi um dos palestrantes. Para ele, é importante falar a linguagem das crianças, para que elas possam entender e trabalhar junto no combate. “As crianças podem ter a iniciativa dentro de casa e cobrar da sua família as ações. Vamos conseguir mudar a situação apenas através da educação e conscientização”, afirmou.

Segundo a supervisora escolar Clésnia de Oliveira, a ação educativa torna as crianças multiplicadoras das medidas de combate ao mosquito. “Uma menina disse aqui que ela e suas amiguinhas do condomínio procuram água parada e eliminam por conta própria”, conta Clésnia.

O Boa Vista é o bairro com o maior número de focos de Joinville, contabilizando 238 criadouros confirmados, o que corresponde a quase 20% do total de 1.396 focos de toda a cidade.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Phelippe José/Prefeitura
Informações: Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *