A história do casal que fez o ensaio de casamento no Cemitério Municipal

No dia 22 de setembro de 2016, o então agente funerário Wagner Pfeiffer veio de Caxias do Sul a Joinville a trabalho. O serviço consistia em buscar o corpo de um homem, realizar todos os trâmites burocráticos e voltar com ele ao Rio Grande do Sul. Como não conhecia a cidade, precisou de ajuda.

A missão de ajudar Wagner ficou nas mãos da nutricionista Graziela Demétrio, que era conhecida da família da pessoa que havia falecido. Junto com a mãe, ela percorreu com ele lugares como Instituto Médico Legal (IML) e cartório. A história podia ter terminado aí, com uma despedida. Mas eles mantiveram contato por WhatsApp e, no final daquele ano, de férias, ele voltou a Joinville e os dois começaram a namorar. No dia 20 de abril, casam.

Como forma de celebrar essa história, resolveram realizar o ensaio de casamento no Cemitério Municipal. “Sempre saia a brincadeira entre os amigos e familiares. Por mais que seja estranho para algumas pessoas, tem um significado para a nós, pois foi em um momento assim que nos conhecemos”, diz Wagner.

A ideia pegou a fotógrafa Sheila Inês Peron de surpresa. Na reunião, o casal contou como se conheceram e antes de eles terminarem a história, ela brincou: “não vai dizer que vocês querem fazer as fotos no cemitério”. E eles disseram que era lá mesmo que deveria ser. “Na hora, eu fiquei surpresa, achei que eles estavam brincando, mas era verdade”, conta a profissional, que não hesitou em realizar o desejo de Wagner e Graziela.

A sessão, como não poderia deixar de ser, atraiu o olhar de curiosos, no caso, os funcionários do cemitério, que realizavam obras no local e paravam para dar uma espiada no que estava acontecendo. O coordenador do cemitério chegou a comentar que nunca havia visto isso antes. “Foi melhor do que eu esperava”, comenta Sheila.

Graziela diz que aprendeu sempre aprendeu a lidar com a morte de uma maneira natural. “É a única certeza que a gente tem da vida”, diz. “O cemitério é um ambiente que remete à tristeza, claro, mas, no nosso caso, ele remete a algo bom, algo feliz”, completa. Então, pra ela, fazer o ensaio naquele local foi tranquilo, apesar de estar bem menos acostumada a ele que o futuro marido.

Wagner veio morar em Joinville no final do ano passado. Hoje, trabalha como motorista de aplicativo, mas espera uma oportunidade para voltar a ser agente funerário.

Texto: Alexandre Perger
Fotos: Sheila Inês Peron

Um comentário em “A história do casal que fez o ensaio de casamento no Cemitério Municipal

Responder a SHEILA INÊS PERON Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *