Empresários se organizam para pressionar parlamentares

O Conselho das Entidades Empresariais de Joinville, formado por Acij, Acomac, Ajorpeme e CDL, se reuniu nesta quarta-feira (3) para discutir a infraestrutura da região, a reforma da Previdência, a suspensão de voos e temas para serem debatidos com a bancada dos deputados estaduais, federais e senadores.

Os presidentes das entidades – João Joaquim Martinelli, Rudi Soares, Fernando Bade e José Manoel Ramos – assinaram ofícios aos legisladores eleitos para representar Joinville e municípios da região norte. As cobranças individuais de cada segmento e as coletivas, com os principais pleitos das cidades, serão apresentadas e discutidas em encontros ao longo do semestre.

No tema infraestrutura, além de concordarem sobre a necessidade de melhorias na Serra Dona Francisca (SC-418), o recomeço das obras do contorno ferroviário e a duplicação da BR -280, as entidades definiram procurar os representantes das cidades vizinhas para, juntos, levarem as reivindicações ao governo estadual.

Também apontaram a necessidade de buscar investimentos privados para melhorar o sinal de telefonia móvel na SC-418, mas há necessidade de um alinhamento com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), reguladora dos serviços junto às operadores de celular e órgão que autoriza a frequência de operação das linhas telefônicas.

As alterações no Simples Nacional também preocupam os empresários de Joinville. Para este ano, há mudanças previstas na tabela, nas alíquotas, nas atividades relacionadas a essa forma de tributação, nos limites de faturamento e até mesmo no prazo para pagamento das dívidas. Os integrantes do conselho vão se reunir com os políticos para buscar soluções e evitar mais prejuízos aos empresários. Acerca da Previdência, a mobilização será da mesma forma.

Os presidentes também assinaram ofício para enviar à TAM Linhas Aéreas solicitando o retorno do voo diário das 8h50 para Congonhas. A companhia aérea alterou o horário para as 10h40 com o argumento da malha de inverno, mas desagradou a cidade porque hoje o aeroporto detém equipamentos para operar com segurança. Joinville conta com apenas dez voos diários, e a Gol e a Azul operam com decolagens no final da manhã, conflitando com o novo horário da TAM.

Ao final da reunião, as entidades fizeram um balanço do jantar em homenagem ao empresário Mário Aguiar realizado no dia 18 de março, na Sociedade Harmonia Lyra, e informaram que parte do dinheiro arrecadado com o evento será usado para a compra de macas para o Hospital São José.

Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *