Ao lado da torcida, JEC tenta superar desfalques e Marcílio Dias por vaga no G4

Ao lado da torcida, o Joinville vai tentar – na tarde deste sábado (30), às 16 horas na Arena – superar quatro desfalques do time titular e também o adversário, o Marcílio Dias, por uma vaga no G4 do Catarinense restando apenas duas rodadas para o término da fase classificatória.

Esse cenário era muito improvável há quatro rodadas, quando o Tricolor anunciou a demissão do antigo treinador. De lá para cá, o Coelho não perdeu mais. Foram dois empates em casa (Metropolitano ainda com técnico interino e Hercílio Luz) e duas vitórias longe de Joinville – contra a Chapecoense e Figueirense.

Se vencer o Marinheiro, o Joinville ainda torce por um tropeço do Brusque contra a Chapecoense na Arena Condá no domingo para terminar a rodada entre os quatro primeiros. Para chegar lá, o time vai precisar driblar as ausências dos volantes João Ananias e Leandro Bulhões (suspensos pelo terceiro cartão amarelo), do meia Caíque e do atacante Hugo Almeida (expulsos na vitória contra o Figueirense).

Improvisações

Com tantas baixas, o técnico Felipe Surian será obrigado a realizar improvisações. Na coletiva de quinta-feira, o treinador praticamente confirmou a entrada do zagueiro Diego Bispo na lateral direita, que era também ocupada por Ananias. Como volantes, os escolhidos foram o lateral Tiago Costa e o meia Rodrigo Figueiredo.

“Por isso vou usar o Bispo fechando um pouco o lado direito, fazendo essa compensação. Sem a bola, esse três atletas terão uma responsabilidade maior”, destacou Surian, que deve variar a formação com a primeira linhas de quatro jogadores (4-4-1-1 defendendo e 4-3-3 atacando) para uma formação com três zagueiros (3-4-3) ao longo do confronto.

Provável JEC: Jefferson; Diego Bispo, Luan, Marlon e Erick Daltro; Tiago Costa, Rodrigo Figueiredo e Robert; Wellington Rato, Nathan Cachorrão e Rafael Grampola.

Suspense no Marcílio

Há seis rodadas sem ganhar, o técnico Waguinho Dias fez suspense e não confirmou a escalação do Marinheiro. O treinador aparenta estar em dúvida entre uma formação com dois meias (Juninho Tardelli e Giba) ou manter o tradicional 4-3-3. Há também a possibilidade uma troca simples de Giba por Tardelli, que não vem em boa fase.

Provável Marcílio Dias: Tom, Luiz Renan, Wallace, Magrão, Paulinho; Luanderson, Jonathas e Juninho Tardelli (Giba); Anderson Ligeiro, Jean dias e Roni (Levak).

“Se trouxermos um ponto de lá, pelos jogos que se tem pela frente dos nossos concorrentes, não vai ser um mau resultado”, comentou Waguinho Dias na coletiva ainda em Itajaí. Para o treinador, a quarta vaga na semifinal – que já tem garantidos Figueirense, Avaí e Chapecoense – deve ficar entre JEC e Marcílio, sem colocar fé em Brusque e Criciúma.

Mais de 800 ingressos vendidos antecipadamente

858 ingressos foram vendidos antecipadamente para o duelo desta sábado. Desde quarta-feira, o Joinville vendia a R$ 20 o bilhete para a arquibancada descoberta. As vendas continuam até a hora do jogo na Arena, mas agora a R$ 30 na descoberta para quem for com a camisa do JEC. A torcida visitante e quem for sem a camisa tricolor paga R$ 40, com opção de meia-entrada.

Público das partidas do Joinville na Arena:

Avaí (2ª rodada): 3.449
Chapecoense (4ª rodada): 3.464
Figueirense (6ª rodada): 2.647
Hercílio Luz (14ª rodada): 2.510
Metropolitano (12ª rodada): 1.888
Criciúma (8ª rodada): 1.504
Brusque (10ª rodada): 1.478

2.420 é a média de torcedores na Arena Joinville neste Catarinense.

Texto e foto: Yan Pedro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *