#NotasTricolores: O quebra-cabeça que Surian terá de montar no JEC

O Joinville vai enfrentar o Marcílio Dias neste próximo sábado desfalcado de quatro titulares e cheio de improvisações. Um cenário construído na vitória contra o Figueirense no domingo, quando o Tricolor saiu com os três pontos, mas também sem os volantes João Ananias e Leandro Bulhões (3º cartão amarelo) e meia Caíque e Hugo Almeida (expulsos).

A partida de sábado vale uma entrada no G4 provavelmente. É óbvia a importância do jogo, mas sobretudo a preparação para ele: sem peças importantes, Surian terá de improvisar.

Quem joga?

Nesta terça-feira, ainda poupando os titulares da vitória contra o Figueirense, Felipe indicou que o lateral esquerdo Tiago Costa pode ser o escolhido para atuar improvisado como volante pelo lado canhoto. O maior ponto de interrogação está sobre o outro volante. A tendência é colocar Eduardo Melo, zagueiro de origem e que jogou de lateral direito no domingo, no meio-campo.

Com isso, a lacuna estaria na lateral direita. Arez sequer viajou para Florianópolis por uma escolha técnica de Surian, mas treinou na atividade desta terça-feira. Se não for ele nesse esquema imaginado, só restaria Saile – garoto da base que atuou na lateral esquerda neste treino no CT.

É um verdadeiro quebra-cabeça. Nesta quarta-feira à tarde Surian terá mais uma oportunidade de encaixar as peças. Ou, pelo menos, deixá-las menos desarrumadas.

Um possível time: Jefferson; Saile (Arez), Marlon, Luan e Erick Daltro; Eduardo Melo e Tiago Costa; Wellington Rato, Rodrigo Figueiredo (Robert) e Nathan Cachorrão; Grampola.

DM esvaziando

Person está parado desde julho do ano passado. Foto: Júlio César/JEC

O Departamento Médico do Joinville, finalmente, começa a esvaziar. Nas últimas semanas, o DM chegou a contar com mais de cinco atletas; hoje está apenas com um jogador ainda clinicamente não recuperado, o atacante Adriano – que passou cirurgia no joelho e ficará alguns meses afastado dos gramados.

Nesta terça-feira, primeiro dia de trabalho da semana, o meia Robert, ausente nas últimas três partidas devido a uma lesão muscular grau 2 na coxa, voltou a trabalhar com bola com o restante do elenco.

Foi também o caso de Eduardo Person. Volante da base do JEC, o atleta está sem atuar oficialmente desde o dia 8 de julho de 2018, quando sofreu uma lesão no joelho. Passou por cirurgia no final do ano passado e deve voltar a jogar em maio, na Série D.

Outro atleta clinicamente recuperado é Clécio, que já faz trabalho no gramado do CT aprimorando o condicionamento físico. O volante tinha lesão na panturrilha, que foi sentida ainda no turno do Catarinense durante o aquecimento da partida contra o Criciúma, no dia 17 de fevereiro.

Dos três recuperados, apenas Robert deve ser relacionado para o duelo de sábado contra o Marcílio Dias.

Na linha

Nathan Cachorrão agora está na linha. Foi o que o próprio jogador, artilheiro do Catarinense com sete gols ao lado de Daniel Amorim (Avaí), disse em entrevista coletiva nesta terça-feira. O jogador revelou pressão da família – mulher e avó – para tomar um novo rumo na carreira, que é a melhor até agora.

Discutia bastante com a minha esposa por que as coisas não davam certo. Esse ano a gente teve uma conversa bem clara. Ela me deu uma dura, a minha avó me colocou na parede. ‘Você tem que reagir, tem 25 anos, as coisas estão acontecendo’

O atacante disse estar se alimentando melhor (está morando no CT, o que, segundo ele, ajuda) e descansando mais. Também mencionou frustração por não ter decolado ainda na carreira – citando colegas de seleção de base que hoje estão na Europa. Ele tem contrato com o JEC até o final do Estadual e não há certeza sobre renovação para a Série D.

Contas para chegar lá

Depois da derrota do Brusque para o Tubarão na segunda, no complemento da 14ª rodada, as chances de o Tricolor chegar à semifinal aumentaram mais um pouco. Se vencer o Marcílio Dias, além de passar o Marinheiro em três pontos, o JEC só não entra na penúltima rodada na quarta posição se o Brusque, fora de casa, vencer a Chapecoense.

Quem está na briga?

Além do trio que tem 20 pontos (Brusque, Marcílio e JEC, pela ordem), o Criciúma ainda também tem chance. Soma 18 pontos. Na rodada do final de semana, o Tigre pega o Metropolitano em ascensão em Blumenau. Na rodada seguinte, o time do Sul do Estado recebe o JEC, enquanto Marcílio encara o Hercílio em casa e o Brusque pega o Avaí no Augusto Bauer.

Equilíbrio

Na última rodada, o JEC é o único dos quatro concorrentes a jogar em casa; enfrenta o Tubarão. Já o Brusque visita o Metrô, o Criciúma viaja para pegar o Hercílio e o Marcílio encara o Figueira na Capital. Apesar da vantagem, o Joinville perde para todos os times no primeiro critério de desempate: o número de vitória. Ou seja, para se classificar, o Tricolor necessariamente vai precisar ter um ponto a mais.

Viés de alta

Enquanto o JEC vem de quatro jogos de invencibilidade e com 66% de aproveitamento desde a saída de Zé Teodoro, os adversários estão em queda acentuada de rendimento no mesmo recorte de jogos. 33% para Criciúma e Brusque. E apenas para o 7% Marcílio Dias, time que não vence há seis rodadas.

⚫⚪🔴

A coluna #NotasTricolores reúne informações de bastidores do Joinville Esporte Clube, Basquete Joinville e JEC/Krona, além de outros esportes da cidade, em edição semanal ou sempre que um grande assunto surgir. A autoria é do repórter Yan Pedro, também setorista do JEC na Rádio Clube, com a colaboração de Vitor Forcellini e o auxílio da redação de Replay Joinville/O Mirante.

A foto em destaque no topo é de Júlio Cesar, da assessoria de imprensa do JEC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *