Desassoreamento do Rio Cubatão deve começar em 90 dias

O desassoreamento das partes mais críticas do Rio Cubatão deve começar em até 90 dias, que é o tempo dado para análise do processo ambiental pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama). Depois desse prazo, as máquinas começam a trabalhar para limpar os sedimentos que se acumulam no rio e dificultam ou alteram seu curso normal.

O desassoreamento do rio Cubatão foi a principal reivindicação na audiência pública das comissões de Cidadania e Urbanismo, feita na noite de quarta-feira (20), na Sociedade Dona Francisca, no distrito de Pirabeiraba. Representantes do conselho gestor da Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra Dona Francisca pediram também que se realizem ações do plano de manejo da APA.

Depois da análise e eventual liberação, empresas que já possuem licença federal pela Agência Nacional de Mineração (ANM) poderão atuar no desassoreamento do rio. Essas empresas entraram com pedido de licenciamento específico para fazer o desassoreamento na Sama apenas esta semana, conforme o gerente da Unidade Desenvolvimento da Gestão Ambiental, Clailton Breis.

O presidente do conselho técnico da APA, Manoel Luiz Vicente, indicou alguns pontos críticos de assoreamento nos rios Seco, Cubatão e da Prata, mencionando em especial o ponto de encontro desses dois últimos.

No entendimento de Vicente o desassoreamento dos pontos críticos diminuiria os riscos de inundação. Ele propôs um processo cuidadoso, com a retirada de não muito mais que 1,5m dos detritos da calha do rio.

O morador Sérgio Baumer questionou a indicação dos pontos críticos por Vicente, dizendo que o ponto mais assoreado é o da barragem do rio Cubatão, na altura da região urbanizada de Pirabeiraba. Baumer foi acompanhado pelo engenheiro agrônomo Anselmo Cadorin nesse entendimento, para quem “o desassoreamento da barragem é imprescindível”. Baumer pontuou ainda que entendia que havia segundos interesses no desassoreamento proposto.

Cadorin demonstrou ainda uma preocupação especial com a qualidade da água do rio Cubatão, que abastece a grande maioria da população joinvilense. Pelo menos 452 mil joinvilenses consomem água captada do Cubatão. O engenheiro agrônomo disse que medições recentes indicavam que a qualidade da água do Cubatão estaria em 55%, enquanto a água captada no rio Piraí tem qualidade de 85%, abastecendo 98 mil habitantes. A qualidade menor da água exige uma maior capacidade de tratamento e mais investimentos no tratamento.

O secretário de Infraestrutura, Romualdo França, explicou que as ações da Seinfra se limitam à região fora da APA Dona Francisca, porque ações na APA dependem da Sama. França destacou que a Seinfra tem realizado limpezas, mas não propriamente desassoreamentos, por conta da escassez de recursos. Entre as limpezas, o secretário mencionou as realizadas recentemente nos rios Alandf e do Braço e em pontos do rio Cubatão.

Edição: Alexandre Perger
Foto: Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *