Diretor da NASA elogia equipe joinvilense em competição de robótica

A equipe Beta, formada por estudantes do SESI e do SENAI, foi reconhecida pelos juízes da competição FIRST Tech Challenge (FTC), promovida no Festival SESI de Robótica, pelo trabalho em equipe, colaboração e cooperação com outros times participantes. Além disso, os meninos receberam um elogio que valeu como um grande prêmio.

Todd Ensign, que é diretor do Centro de Recurso de Educadores da Unidade de Verificação e Validação Independente da agência espacial norte-americana, a NASA, durante visita aos estandes, elogiou o trabalho e o robô desenvolvido pelos joinvilenses. Ele ficou admirado e considerou impressionante que uma equipe ainda sem experiência tenha feito um trabalho daquela qualidade.

A conversa foi registrada pela técnica Ana Laura Queiroz, nos stories do instagram da Beta. A interação ocorreu durante a visita de Ensign ao estandes, em que o diretor conversou com os estudantes. Ele quis saber sobre a história dos garotos e do processo de construção do robô. A admiração ficou maior quando os jovens contaram que nunca haviam participado de competições parecidas.

No FIRST Tech Challenge (FTC), os alunos precisam programar e construir robôs capazes de realizar tarefas nos mesmos moldes do torneio da First Lego League (FLL), só que com os mesmos equipamentos utilizados por grandes engenheiros. Os robôs são capazes de executar tarefas guiados por controle remoto e também de forma autônoma, com ajuda de sensores e movimentos pré-programados.

Colaboração

Se o robô foi elogiado pelo representante da NASA, o desempenho da Beta não ficou abaixo, sendo destacado pelo juízes. Para o estudante Vinícius Leandro, este é o espírito da competição.

“Nós devemos sempre lembrar do espírito da First, buscando integração, ajudando no que for possível, orientando o próximo que está com dificuldade em algo ou ajudando as outras equipes a inovar. Devemos levar isso para a nossa carreira profissional”, comentou.

Este clima também foi destacado pela técnica. Ana Laura, que é professora de espanhol do Senai, contou que o clima no festival foi muito receptivo, sem preconceitos com as pessoas de fora do universo da robótica.

Para um um bom desempenho na competição, Ana disse que a Beta contou com o auxílio de diferentes especialistas. Para fazer bonito na apresentação, por exemplo, ela convidou Rogers Pereira, campeão continental de oratória, para dar um treinamento à equipe. Ele atuou de maneira voluntária. Professores da instituição também auxiliaram em diversas partes do projeto.

Catarinenses se destacam

Além da Beta, outras equipes de SC se destacaram na competição. A equipe Techmaker, de Blumenau, venceu o primeiro lugar na categoria design mecânico na etapa nacional da FLL. A equipe Team Spark, de Criciúma, venceu o prêmio de melhor pesquisa e desenvolvimento na competição realizada pela Fórmula 1.

O bom desempenho das equipes catarinenses pode levá-las às disputas internacionais. Tanto a Techmaker quanto a Tecnorob (Brusque) e a Agrorobots (Concórdia) se classificaram como suplentes do torneio da FLL.

Fabrizio Pereira, superintendente do SESI/SC, reforça que eventos como este estimulam a pesquisa matemática, científica e tecnológica. “Os estudantes têm acesso a um mundo de informações, facilitando a escolha por carreiras mais tecnológicas e alinhadas a uma indústria mais moderna”, comenta.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Guarim de Lorena/Fiesc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *