Vigilância Sanitária ministra curso de manipulação de alimentos

Profissionais que atuam diretamente com manipulação de alimentos, bem como aos donos de estabelecimentos, proprietários de serviços de alimentação e nutricionistas participam durante toda semana, de segunda até sexta-feira (22), da oficina “Boas Práticas na Manipulação de Alimentos”, ministrada por fiscais sanitaristas da Vigilância Sanitária Municipal de Joinville.

O curso tem por objetivo capacitar os manipuladores de alimentos conforme Resolução da Anvisa – RDC 216/2004, que é o regulamento técnico para garantir a segurança da qualidade dos alimentos. Em Joinville, a capacitação é feita desde 2006, com a frequência de três a quatro vezes por ano.

Entre as questões abordadas estão higienização do ambiente, de utensílios e dos alimentos; acondicionamento e temperatura; procedência e rotulagem dos produtos utilizados; segurança do trabalhador; procedimento operacional padrão para a segurança alimentar; e produtos de origem animal.

As aulas são ministradas por fiscais sanitaristas do Núcleo de Alimentos do Serviço de Vigilância Sanitária e Ambiental de Joinville em parceria com o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Joinville e Região. As aulas teóricas e práticas têm duração de 20 horas.

No primeiro dia foram apresentados os conceitos centrais da boa prática na manipulação dos alimentos e sua importância para os gestores como para os consumidores como melhora na qualidade dos processos, produtos e serviços, valorização profissional, a importância da formação continuada e o retorno dos benefícios para as empresas, funcionários, clientes, sistema de saúde e fiscalização.

Presente na abertura da capacitação, a coordenadora da Vigilância Sanitária, Edilaine Pacheco Pasquali, lembra que a atuação da fiscalização é bem rigorosa quanto ao respeito às normas da Anvisa na manipulação de alimentos. “Se o processo está fora do padrão a ordem é a interdição”, disse.

Entre os cuidados exigidos na manipulação dos alimentos está a higiene e as normas relacionadas com a conservação tanto na guarda como no descongelamento. “Além da atuação dos fiscais, cabe também aos consumidores denunciar os casos em que perceber violação das normas de higiene”, afirmou a coordenadora.

Edição: Felipe Silveira
Foto: Phellipe José/Prefeitura
Informações: Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *