Equipes de Joinville disputam maior torneio de robótica do país

Equipes de todo o Brasil, com seus robôs de diferentes tipos e tamanhos, desembarcam no Rio de Janeiro para o Festival SESI de Robótica, que começou na sexta-feira (15) e vai até domingo (17). Mais de 1,2 mil alunos de escolas públicas e particulares, responsáveis pela construção e programação dos robôs, disputam a competição que é dividida em três categorias.

Entre eles estão duas equipes de Joinville, a Sunrise (foto no topo), que participa do Torneio do SESI de Robótica FIRST LEGO League (FLL), e a equipe Beta (foto abaixo), a única representante de Santa Catarina na categoria FIRST Tech Challenge (Desafio tecnológico).

Além das duas categorias com joinvilenses, SC terá duas equipes, de Criciúma, na categoria F1 in Schools (F1 nas Escolas). O desafio reproduz os desafios da corrida Fórmula 1. Eles podem utilizar diversos recursos tecnológicos para projetar, modelar e testar um protótipo de um carro de F1.  O carro, que deve ter no mínimo 50 gramas, vai participar de uma corrida na pista dos eventos oficiais da disputa.

Além de Joinville e Criciúma, Santa Catarina terá equipes de Brusque, Blumenau, Concórdia, Timbó e Tubarão, que participam do torneio FLL. Em todas elas, os estudantes colocam em prática o aprendizado em matemática, física e outras disciplinas ligadas à tecnologia.

Desafio em órbita

O tema deste ano da FIRST LEGO League é Into Orbit (Em órbita), que desafia os estudantes a pesquisar sobre as questões relacionadas a viver e viajar no espaço. Eles terão de identificar e propor uma solução inovadora para um problema físico ou social enfrentado durante as viagens de exploração espacial.

Com base no tema proposto, o projeto dos estudantes da equipe Sunrise, formado por seis estudantes, é “A perda de petrechos, ferramentas e itens pessoais durante o manuseio”. Na arena, os robôs feitos pelos próprios alunos com peças de LEGO ainda terão de cumprir missões como se locomover em áreas com crateras, ajudar um astronauta a voltar em segurança para a base espacial e até mover satélites para a órbita.

Os melhores times da etapa nacional garantem vaga em torneios internacionais. O principal deles, o World Festival, considerado a Copa do Mundo da robótica, será realizado em Houston, nos Estados Unidos. No ano passado, a equipe Red Rabitt, do SESI de Americana (SP), foi a grande vencedora do mundial.

Desafio além da robótica

Formada por oito alunos do ensino médio do SESI /SENAI de Joinville, a equipe Beta é a única representante de Santa Catarina na categoria FIRST Tech Challenge, que estreia no evento este ano. Nesta disputa, não bastam apenas os conhecimentos científicos.

No FTC as equipes são avaliadas não apenas pelos robôs, mas também pelo envolvimento com a comunidade, como, por exemplo, promovendo uma campanha para arrecadar brinquedos para alguma entidade. São avaliadas ainda pelo relacionamento com outras equipes e a maneira como levam ciência e tecnologia para o maior número de pessoas.

O grupo está trabalhando desde o início do ano nas diversas etapas que são previstas na competição: o desenvolvimento de um plano de negócios; a realização do projeto e criação de um robô capaz de realizar atividades de forma autônoma e teleoperada; e ações voltadas à comunidade. Os alunos desenvolvem ações com a comunidade local, como por exemplo, a oficina de Robótica e a programação em homenagem ao Dia da Mulher, pela valorização da mulher na ciência e tecnologia.

A melhor equipe ganha uma vaga para o World Festival, nos Estados Unidos.

Edição: Felipe Silveira
Fotos e informações: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *