Os motivos da má campanha do Basquete Joinville

O Basquete Joinville vive um péssimo momento no NBB. Em 23 jogos o time venceu apenas cinco partidas e sofreu 18 derrotas, 14 delas consecutivas. O time catarinense chegou a ficar mais de quatro meses sem vencer e amarga a pior campanha da competição. Uma situação foi comum nas derrotas da equipe nesta temporada: o time fazer um quarto muito abaixo do normal e isso tem muita importância na sequência negativa.

Dos 23 jogos, em 13 o time teve pelo menos um quarto onde perdeu por mais de 10 pontos de diferença. Em alguns o time sequer conseguiu fazer dois dígitos de pontuação. Em sete dessas 13 partidas a diferença do jogo esteve exatamente no período que o Joinville sofreu o chamado “apagão”. Em um rápido levantamento, é possível ver como esses quartos influenciaram no resultado final. Claro, não se pode simplesmente excluir um quarto do jogo e dizer que o time ganharia o jogo, mas as chances boas . Em pelo menos três partidas a diferença nos outros quartos foi de sete ou mais pontos.

Grande parte dos apagões foram no segundo ou no terceiro quarto. Tem sido comum o Joinville começar bem os jogos e decair nos dois períodos seguintes. Essa oscilação já era vista na temporada passada, mas comprometeu menos resultados do que nesta edição do NBB.

Outro fator importante são os rebotes. Das 23 partidas o Joinville pegou mais rebotes que seus adversários em oito, incluindo em três das quatro vitórias da equipe na competição. Em 15 partidas o time perdeu na disputa no garrafão. As únicas vitórias da equipe com menos rebotes que o rival foram diante do Basquete Cearense e do São José.

Restam apenas três rodadas para o fim da competição, parece difícil que o Joinville consiga corrigir erros que cometeu durante todo o torneio. Nesta sexta-feira (15), o time disputa o seu último jogo em casa, diante do Paulistano. Depois enfrenta Bauru e Franca, fora de casa. O time precisa de uma vitória a mais que o Vasco para não terminar na lanterna do NBB.

Texto: Vitor Forcellini
Foto: AABJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *