Cook marca no estouro do cronômetro e dá vitória ao Joinville no NBB

O torcedor que foi ao Centreventos na noite de segunda-feira (11) testemunhou uma partida com um dos desfechos mais espetaculares da história do basquete na cidade. Como em um roteiro de filme, os segundos finais de partida foram cheios de reviravoltas e com um herói salvador. Graças a uma cesta de Anton Cook no estouro do cronômetro, o Joinville encerrou sua sequência de 14 derrotas seguidas e bateu o São José por 87 a 84.

Em que pese a importância do todo o jogo, o minuto final merece um parágrafo logo no início deste texto. Quando o cronômetro apontou que faltavam 36 segundos para o fim da partida o placar estava empatado em 82 a 82. Ao longo da partida o Joinville já havia aberto 10 pontos de vantagem, tomado a virada, corrido atrás de uma diferença de sete. A torcida que em alguns momentos se irritou com a equipe em quadra, agora era só apoio. O time fazia um excelente quarto e a vitória era palpável.

Restando 19 segundos, com o placar ainda empatado, Cook cometeu um erro e acabou voltando com a bola para a quadra defesa, dando a posse de presente para São José. O desespero tomou conta do Centreventos e o time paulista tinha a chance de passar a frente novamente. Porém, Schneider errou uma tentativa do perímetro e Mathias ficou com o rebote. No ataque, após bela jogada de Starks, o pivô joinvilense fez os dois pontos que poderiam ser decisivos. O ginásio vibrou muito, pois restavam apenas três segundos no relógio e o Joinville vencia por 84 a 82. Seria a coroação de uma excelente atuação, já que o pivô fez 16 pontos e pegou 14 rebotes.

Porém, emoção pouca é bobagem. Faltava menos de três segundos quando o árbitro Eduardo Albano marcou uma falta inexistente de Mathias que deixou todo o ginásio revoltado. Após muita discussão, Schneider empatou a partida acertando os dois lances livres. Quando a prorrogação parecia inevitável, com apenas 0.4 no relógio, Cook recebeu a bola no campo de ataque e, em uma jogada muito rápida, se desvincilhou do marcador e arremessou. Enquanto a bola caia na cesta joseense, o cronômetro zerava, pondo fim a sequência de 14 derrotas do Joinville e dando início a loucura e psicopatia no Centreventos Cau Hansen. Elenco se abraçando no centro da quadra, torcedores se abraçando nas arquibancadas, desforra com a arbitragem e olhares incrédulos dos visitantes. Os últimos 40 segundos do jogo pareceram uma eternidade para os joinvilenses presentes no ginásio e a comemoração foi digna de quem estava com o grito entalado na garganta.

Vitória com superação

A verdade é que desde o início jogo não foi nada fácil. No segundo e no terceiro quarto o Joinville errou demais e foi ficando nervoso a cada erro. Desfalcado de Jerônimo e André Bambu, o Joinville novamente pegou bem menos rebotes que o adversário. Mesmo assim o time conseguiu e superar e conquistar a importante vitória.

Cook e Mathias comandam as estatísticas

Cook foi o cestinha com 26 pontos, seguido de Mineiro, do São José, com 19. Mathias fez 16 pontos e pegou 14 reboes, chegando ao double-double. Destaque também para Starks, autor de 11 pontos e quatro assistências, e Socas, que fez 12 pontos e pegou quatro rebotes.

Pelo São José, além de Mineiro, destacaram-se Nunes, com 16 pontos e oito rebotes, e Sahdi, com oito assistências.

Destoou

Como já é costume, a arbitragem também não foi bem, com vacilos ao longo de todo o jogo. O erro no fim quase custou a vitória ao Joinville e deixou atletas e dirigentes indignados. O clube promete reportar a situação à LNB. Segundo o diretor Kelvin Nunes, a arbitragem nacional tem uma excelente qualidade, mas também há os destaques negativos. Kelvin considerou o lance da falta no fim do jogo, marcada por Eduardo Albano, como inacreditável.

A palavra do clutch

Clutch é um termo do inglês usado para identificar um jogador decisivo. Que sempre aparece nos momentos derradeiros do jogo de decide. Foi o caso de Cook na noite desta segunda. “Eu me senti muito bem com esse game winner, com a vitória, o time fez um bom jogo e agora o foco é o Paulistano”, afirmou.

Situação no campeonato

A vitória fez com que o Joinville igualasse a campanha do Vasco, com cinco vitórias em 23 jogos.  Porém, os cariocas ainda ficam na frente porque levam vantagem no confronto direto. Para deixar a lanterna, o Joinville tem que conseguir uma vitória a mais que o cruz-maltino. O próximo jogo da equipe é na sexta-feira (15), contra o Paulistano no Centreventos. Depois o time encara Bauru e Franca fora de casa, encerrando a participação no NBB.

As chances de classificação para os playoffs ainda existem, mas dependem de uma combinação muito improvável de resultados.

Texto: Vitor Forcellini
Foto: LNB

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *