Presidente do Sinsej diz que queda do telhado era tragédia anunciada

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Joinville e Região (Sinsej), Ulrich Beathalter, afirmou que a queda do telhado no prédio que abriga a Secretaria de Agriculta e Meio Ambiente (Sama) poderia ter sido evitada se a prefeitura atendesse às reivindicações da categoria por condições de trabalho adequadas.

O dirigente sindicalista afirma que a entidade pediu diversas vezes para que prefeitura realizasse melhorias nas estruturas que abrigam os serviços públicos. “Solicitamos as providências para que esse tipo de ocorrência jamais viesse a acontecer”, diz Ulrich em vídeo publicado no site do Sinsej.

Os diretores do Sinsej foram até o local para prestar assistência aos servidores. Segundo o sindicato, os trabalhadores que atuavam no local relataram que o prédio tinha goteiras, infiltrações e a caixa d’água estava vazando.

“Apesar do pedido dos funcionários para que a Defesa Civil fosse acionada, nada foi feito. Uma servidora, presente no prédio durante o desabamento, disse que a única medida foi solicitar que um dos funcionários subisse no telhado e consertasse o vazamento da caixa d’água”, diz a nota da entidade.

A nota lembra ainda casos em que os servidores se mobilizaram para pedir melhores condições de trabalho. No dia 22 de fevereiro, servidores do Centrinho Luiz Gomes paralisaram suas atividades devido a infiltrações e goteiras. Em 2016 e 2017 os servidores da Policlínica Boa Vista se mobilizaram para exigir do governo o conserto da caixa d’água. O local também tinha goteiras, infiltrações e rachaduras e havia risco de desabamento.

“Esperamos que com essa tragédia anunciada a Prefeitura estabeleça um plano para que sejam revistas e restauradas as estruturas de todos os prédios públicos da cidade”, disse Ulrich.

Texto: Redação O Mirante
Foto: Aline Seitenfus/Sinsej

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *