#NotasTricolores: “Estamos entregando o que o orçamento nos permite”

Com o término do primeiro turno do Catarinense, chegou o momento de avaliar o elenco do Joinville já pensando na Série D – objetivo principal da temporada -, que começa no dia 5 de maio. Na manhã desta sexta-feira (22), após a apresentação do zagueiro Diego Bispo, Agnello Gonçalves, principal responsável pelo planejamento do futebol joinvilense, analisou o desempenho dos jogadores.

“O resultado não é o esperado, ninguém está satisfeito. Hoje o torcedor tem um time que está honrando o escudo do clube. Mas que fique claro também o nível salarial que estamos trabalhando. O torcedor não pode esperar grandes contratações. Estamos entregando em campo aquilo que o orçamento nos permite, mas claro que a gente entende que o desempenho precisa melhorar”.

Quem fica?

Quatro jogadores têm contrato apenas até o final do Estadual. Dois são destaques do time, o goleiro Jefferson e o atacante Nathan Cachorrão. Além da dupla titular, o meia Rodrigo Figueiredo e o lateral direito Arez têm situação indefinida.

Naturalmente, Jefferson e Cachorrão vão ser procurados. Conversas informais pela renovação começaram, mas nada oficial ainda foi apresentado aos jogadores. Jefferson está emprestado pelo Náutico.

Já Nathan assinou com o JEC depois do rebaixamento em 2018 vínculo até o término do Catarinense deste ano. No momento, o jogador está sem empresário e vai esperar o acerto com um novo representante para negociar com o clube.

Porém…

Tudo isso pode mudar. Todo o planejamento realizado com o técnico Zé Teodoro pode ir água abaixo em caso de demissão após uma possível derrota neste sábado. A decisão está nas mãos de Vilfred Schapitz, presidente do JEC. Agnello tem se posicionado contra qualquer alteração no comando técnico, o que pode significar nada caso também seja demitido. Há quem defenda que, se for para mandar um, ambos devam sair.

Teve a chance

Nesta quinta-feira, a reportagem de Replay Joinville trouxe a informação de que Baianinho não tem sequer 1% pertencente ao JEC. O jogador tem o passe integralmente ligado do Brusque, adversário deste sábado do Joinville. Mas o cenário poderia ter sido outro. Um contrato quase foi assinado logo depois da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2018, garantindo 40% para o JEC e 60% para o Brusque. Não se sabe por que o Tricolor não assinou.

Perto do fim?

Foto: Beto Lima/Arquivo JEC

O ciclo de Rafael Grampola no Joinville parece estar chegando ao fim. Desde 2017 no clube, o jogador que soma 35 gols com a camisa tricolor tem sondagens na mesa para tirá-lo do Coelho – a maioria delas por empréstimo. Agnello Gonçalves, executivo de futebol, conversou com a coluna sobre o assunto, pouco antes da derrota para o Tubarão.

“O Rafael é um atleta é muito assediado. Mas temos que tomar cuidado que muitas vezes essas sondagens é feita por terceiros, não por pessoas diretamente ligadas ao clube. Ele tem o mercado muito aberto. Precisamos ter cautela e, sobretudo, analisar o mercado. Por isso que é difícil estipular um valor, não sabendo se virá uma proposta de Série A, B ou de fora (do país)”, afirmou Agnello.

Não curtiu

A maneira como o Joinville vem tratando as sondagens não tem agradado o lado do atleta. O JEC quer lucrar com a saída ou empréstimo do jogador (o contrato com o Coelho acaba no final do ano) e vem descartando qualquer conversa que não vá para esse lado.

Agnello também espera a definição de clubes de Série A e B. Em janeiro, o Tricolor esperava lucrar 100 mil dólares com Rafael. A pedida baixou consideravelmente, até porque a partir de junho o jogador poderia assinar um pré-contrato e sair de graça.

CRB, ABC e um clube de Santa Catarina, entre outras agremiações, teriam procurado Grampola, que também não está feliz com a reserva. A coluna trouxe o relato na última segunda-feira da saída rápida de campo do jogador, enquanto a maior parte dos atletas comemorava a vitória contra o Criciúma.

Bate-papo

O Joinville, representado pelo executivo Agnello Gonçalves, esteve na Federação Catarinense de Futebol na tarde desta sexta-feira para conversar com diretores da instituição. Ele afirma que não há um motivo especial para a visita. “Trocar ideias e estreitar a relação e também escutar a federação. Dar e receber feedbacks. Estar próximo da federação é sempre muito bom”, disse.

Entre esses feedbacks, o Joinville vai mencionar as atuações do árbitro Bráulio da Silva Machado, que esteve no comando do apito nos duelos contra Figueirense e Avaí. Para os cartolas do JEC, falta critério ao árbitro FIFA da Federação Catarinense.

Mudança na FCB

Na última quarta-feira (20), a Federação Catarinense de Basketball elegeu sua nova presidência. Oscar Archer deixa o cargo que agora será ocupado por Fábio Deschamps. Sérgio Carneiro, o Serjão, será o vice. O mandato será de quatro anos e a posse acontece no dia 14 de março.

Apresentação do Blackstar

O Blackstar fará a apresentação de seu elenco na próxima terça-feira (27), na ADE Embraco. O time estreia no Brasileiro da CBB no dia 9 de março.

JEC Gladiators

Depois do Basquete Joinville, futebol de areia e futebol 7, o Joinville deve ter confirmado, nesta próxima segunda-feira (25), na Unisociesc, a parceria com o Gladiators, time futebol americano. A equipe vai se chamar JEC Gladiators e apresentar sua nova identidade visual (escudo será uma combinação entre o atual com o do JEC). Também será anunciada a criação de escolinhas da modalidade na cidade.

⚫⚪🔴

A coluna #NotasTricolores reúne informações de bastidores do Joinville Esporte Clube e também de outros esportes da cidade, em três edições por semana. A autoria é do repórter Yan Pedro, também setorista do JEC na Rádio Clube, com a colaboração de Vitor Forcellini e o auxílio da redação de Replay Joinville/O Mirante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *