Deputados estaduais se dividem em cinco blocos

Os 40 parlamentares da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc) se dividiram em cinco blocos. Na verdade, são três blocos e dois partidos que optaram por atuar sozinhos: PT e MDB. A informação foi oficializada no Diário Oficial do Legislativo desta quinta-feira (7).

O maior bloco conta dez deputados. Chamado de Bloco Social Democrático, é composto pelo PSDB, PSD, PDT e PSC. Em seguida, com nove integrantes, está o Bloco Liberal Social, formado pelo PSL e o PR. Outros quatro partidos com representação na Casa – PP, PSB, PRB e PV – formaram um terceiro bloco parlamentar, com oito deputados, ainda sem nome.

O MDB, que elegeu o maior número de deputados na atual legislatura, nove, será liderado por Luiz Fernando Vampiro (MDB). O PT, com quatro parlamentares, tem como líder Fabiano da Luz (PT). A liderança dos outros blocos ainda não foi definida.

A formação dos blocos está prevista no Regimento Interno da Assembleia e geralmente ocorre por afinidade política ou ideológica entre os partidos que os compõem. Os blocos recebem o mesmo tratamento dado às bancadas partidárias. O objetivo é fortalecer a atuação dos partidos com menos deputados na Alesc e garantir uma participação maior, por meio dos blocos, nas comissões e no tempo destinado aos partidos na tribuna, durante as sessões ordinárias.

A Bancada Feminina da Alesc, com atuação reconhecida pelo Regimento Interno, terá como coordenadora a deputada Ada de Luca (MDB). Ela foi escolhida por unanimidade pelas demais integrantes da Casa. Conforme Ada, além de fortalecer a atuação das mulheres na Alesc, a bancada voltará suas atenções para o combate à violência contra mulher.

“Estamos chegando no Dia Internacional da Mulher e mais do que nunca é importante agir no combate à violência, que tem registrado índices que aumentam cada vez mais”, disse.

Com essa divisão, os três deputados joinvilenses ficaram divididos no parlamento estadual. Fernando Krelling ficou na bancada do MDB. Kennedy Nunes (PSD) passou a integrar o Bloco Social Democrático e Sargento Lima vai atuar no Bloco Liberal Social.

Frentes Parlamentares

Na primeira semana de atividades, os deputados estaduais solicitaram a criação de seis frentes parlamentares com o objetivo de tratar de assuntos nas áreas da infraestrutura viária, economia, saúde e serviço público. Conforme determina o Regimento Interno na Alesc, as frentes têm como objetivo apoiar, incentivar e assistir estudos de temas de interesse social, político e econômico. Para serem formadas, precisam contar com o apoio de pelo menos quatro deputados.

Na área da infraestrutura viária, dez deputados solicitaram a criação da Frente Parlamentar em Defesa das Rodovias do Grande Oeste. O objetivo é tratar da situação das rodovias estaduais e federais da região. Ela será coordenada pelo deputado Altair Silva (PP) e conta com a participação de Neodi Saretta (PT), Bruno Souza (PSB), Padre Pedro Baldissera (PT), Mauricio Eskudlark (PR), Moacir Sopelsa (MDB), Luciane Carminatti (PT), Nilso Berlanda (PR), João Amin (PP) e Valdir Cobalchini (MDB).

Na economia, duas frentes que serão coordenadas pelo deputado Valdir Cobalchini (MDB) vão tratar da defesa das micro e pequenas empresas de Santa Catarina e da defesa do setor madeireiro e moveleiro do estado. Integram os grupos os deputados Luciane Carminatti (PT), Maurício Eskudlark (PR), Dr. Vicente Caropreso (PSDB) e Marcius Machado (PR).

O turismo também terá uma frente parlamentar. O objetivo do grupo é estruturar melhor esse ramo da economia catarinense, com a implementação de mecanismos de cooperação entre o poder público e o setor privado, a realização de encontros, simpósios, seminários, congressos, debates e outros eventos sobre o turismo, entre outras ações. A frente será coordenada pelo deputado Ismael dos Santos (PSD) e conta com a participação da deputada Paulinha (PDT), Rodrigo Minotto (PDT), Marlene Fengler (PSD) e Kennedy Nunes (PSD).

A saúde e o serviço público também terão frentes parlamentares na nova legislatura. Coordenada por Ismael dos Santos (PSD), a Frente Parlamentar em Defesa da Saúde dos Catarinenses quer tratar de um assunto recorrente na Alesc. Assinam o requerimento para a formação do grupo os deputados Kennedy Nunes (PSD), Rodrigo Minotto (PDT), Marlene Fengler (PSD) e Paulinha (PDT).

A deputada Paulinha (PDT) vai coordenar a Frente Parlamentar pela Inovação no Serviço Público. O objetivo é melhorar a qualidade e defender o serviço público estadual, além de apoiar os servidores. Integram a frente Fernando Krelling (MDB), Mauricio Eskudlark (PR) e Rodrigo Minotto (PDT).

As frentes parlamentares dependem, agora, da publicação de um Ato da Presidência para serem formalizadas. Elas vão funcionar por 365 dias, podendo ser prorrogadas por igual período, uma vez, desde que apresentem e publiquem relatórios das atividades desenvolvidas, com cronograma das atividades concluídas e pendentes.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Fábio Queiroz/Alesc
Informações: Agência Alesc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *