Morre o ex-desembargador Lédio Rosa de Andrade

Ao centro da foto, Lédio Rosa de Andrade no lançamento das candidaturas do PT em Joinville

Morreu na madrugada desta terça-feira (29), em Florianópolis, o ex-desembargador de Santa Catarina Lédio Rosa de Andrade, aos 60 anos de idade. Aposentado da magistratura no ano passado, ele se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT) e concorreu ao Senado na última eleição.

O PT de Santa Catarina publicou uma nota de pesar pela manhã em que destacou a “robusta biografia, mas inigualável simplicidade e considerável respeito” do jurista. Também anotou que Lédio “deixou um especial e honroso legado de vida vitoriosa, na justiça e na política”.

O governador Carlos Moisés da Silva, que foi aluno de Lédio na universidade, manifestou pesar pela morte do ex-desembargador: “Tive a honra de ser seu aluno durante a graduação e o mestrado em Direito e posso afirmar que seu falecimento prematuro priva Santa Catarina de um homem justo, correto e ético acima de tudo. Que o seu legado sirva de inspiração para o surgimento de homens públicos tão honrados quanto ele. Meus sentimentos à família”.

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) também publicou uma nota de pesar, destacando a carreira de 35 anos do magistrado. Lédio foi o juiz mais novo do país, iniciando a carreira na Comarca de Araranguá, aos 23 anos de idade. Passou pelas comarcas de Chapecó, Tangará, Ibirama, Campos Novos, Tijucas, Criciúma e Tubarão, sua cidade natal e onde permaneceu por 16 anos. Chegou ao TJSC como juiz de 2º Grau, em maio de 2007, e tomou posse como desembargador em 31 de outubro de 2007.

O tribunal destacou ainda que Lédio era defensor do Direito Alternativo e autor de diversos livros, além de professor universitário. “Além de atuar na área jurídica, tinha formação em Psicologia, com ênfase em psicanálise e saúde do trabalhador”, registrou a nota.

Acometido pelo vírus da poliomielite quando tinha apenas dois anos de idade, Lédio tinha deficiência locomotiva. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na qual, mais tarde, foi professor. Pela Universidade de Barcelona, doutorou-se em Filosofia Jurídica, Moral e Política e fez pós-doutorado em Direito e doutor em Psicologia Clínica e da Saúde.

A causa da morte foi um infarto. O velório do ex-desembargador será na Capela do Crematório do Vaticano, ao lado do Cemitério do Itacorubi, em Florianópolis, das 15 às 21 horas. Logo após será realizada a cremação de seu corpo.

Texto: Felipe Silveira
Foto: PT-SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *