Saiba como foi o segundo protesto contra o aumento da tarifa em Joinville

O segundo protesto contra o aumento da tarifa em Joinville teve o dobro (em relação ao primeiro) de seguranças privados nos terminais e uma ameaça: ninguém ia pular as catracas. Nos últimos protestos, o Movimento Passe Livre (MPL) de Joinville promoveu “catracaços”, ato que consiste em estimular a população a pular as catracas. Mesmo assim, os manifestantes entraram no terminal pela passagem dos ônibus.

Marcada inicialmente para segunda-feira (14), a manifestação foi adiada para quarta-feira (16) por causa de um temporal. Os manifestantes se encontraram na Praça da Bandeira a partir das 17h30 e realizaram uma passeata pelas ruas centrais da cidade. O ato terminou dentro do Terminal Central.

O objetivo do movimento era realizar mais um catracaço, mas a possibilidade de conflito, com a ameaça verbal de que isso poderia acontecer, fez o grupo tomar outra decisão. A Polícia Militar, que acompanhava a manifestação, nada fez contra as ameaças à integridade física dos manifestantes.

A tarifa de ônibus em Joinville foi aumentada no dia 7 de janeiro, via decreto municipal. O bilhete antecipado aumentou de R$ 4,30 para R$ 4,40, enquanto o embarcado foi de R$ 4,65 para R$ 4,80.

Além dos consecutivos aumentos da tarifa, os manifestantes protestam contra a redução de linhas e outras precariedades do serviço de transporte público, como a recente queda do teto do Terminal Central. Eles também denunciam que as empresas Transtusa e Gidion operam sem licitação.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Cedida por Osair de Aviz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *