Sistema integrado começa a ser implementado na Saúde joinvilense

A partir desta quarta-feira (9), a Central de Regulação Ambulatorial da Secretaria da Saúde de Joinville inicia a fase de implantação do Sistema Integrado de Gestão da Secretaria da Saúde, o SIG Olostech. O processo ocorrerá em duas etapas.

A primeira será concluída até o dia 1º de abril, com a inclusão das consultas especializadas e exames laboratoriais. A segunda vai abranger os exames de média e alta complexidades, que serão integrados ao novo sistema a partir do dia 1º de julho.

A gerente de Regulação, Simone Aparecida de Souza, acrescenta que o usuário terá, inclusive, a opção de escolher a data e horário do seu atendimento para Raio X e fisioterapia, que será indicado na clínica mais próxima de seu endereço residencial.

O Sistema Integrado de Gestão da Secretaria da Saúde, já em funcionamento das unidades básicas de saúde e PAs, tem como função integrar a rede municipal de saúde. Segundo a Prefeitura, isso vai melhor a prestação dos serviços de saúde ao cidadão e facilitando o trabalho de funcionários, equipes e gestores.

“Com um sistema que permite ver desde o atendimento prestado na atenção primária, o prontuário eletrônico, os exames solicitados, o profissional da regulação terá as informações para enxergar melhor o caminho e o caso clínico do usuário. Em essência, permite acelerar os processos e otimizar recursos,” ressalta Simone.

Vantagens

No sistema, poderá ser visualizado o caminho do munícipe na rede de saúde, desde o momento da entrada até a hora da alta. Além disso, vai apresentar uma série de outras vantagens, de acordo com o governo municipal:

– Eliminação de papel e retrabalho;
– Prontuário Eletrônico do Paciente (evita duplicidade de receita e medicamentos, maior controle);
– Autenticação de atestados emitidos;
– Regulação de consultas, procedimentos e transporte de pessoas (otimização de recursos, gerenciamento de oferta e capacidade instalada, lista de espera em portal da transparência, priorização por critério clínico);
– Gerenciamento de medicamentos e materiais (controle de validade, controle de ponto de reposição e processo de compra);
– Integração laboratorial (elimina retrabalho e gera economia);
– Integração com sistema do Ministério da Saúde (segurança garante prestação de contas);
– Cadastro pessoa com deficiência (possibilidade de conhecer e estabelecer políticas públicas);
– Business Inteligence (visão gerencial).

Texto: Graziela Tillmann
Informações: Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *