Antonio Mir, o “espanhol joinvilense”, morre aos 68 anos

Um dos principais nomes das artes plásticas de Joinville, o “espanhol joinvilense” Antonio Mir morreu neste sábado (22), aos 68 anos de idade, vítima de parada cardiorrespiratória. Ele morava em Itajaí, com uma filha, e faleceu no hospital.

Nascido em Lorca, na Espanha, veio para o Brasil ainda na infância e sua família se estabeleceu em Joinville. Desde a juventude se destacou nas artes plásticas e, aos 23 anos, foi convidado para participar da Bienal de São Paulo. Foi um dos grandes nomes das artes plásticas dos anos 1970, junto com Juarez Machado e Luiz Henrique Schwanke.

Mir foi um dos criadores da Coletiva de Artistas e um dos idealizadores do Museu de Arte de Joinville (MAJ). Em 2016, no aniversário de 40 anos do museu, foi homenageado com a exposição “Antonio Mir – O espanhol joinvilense”, que reuniu desenhos, pinturas e esculturas.

O artista produziu muito durante a vida e em diferentes locais. Viveu em São Francisco do Sul e voltou para a Europa na década de 1990 (foto é deste período), expondo em diversos países. Reconhecido internacionalmente, sua morte foi noticiada em jornais europeus.

Mir parou de produzir em 2008, após complicações decorrente de uma doença. Deixa dois filhos: Therence e Thamara. Foi sepultado neste domingo (23), no Cemitério Municipal de Joinville.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Arquivo da família/Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *