Joinville oferece testes rápidos no Dia Mundial de Combate à Aids

O Dia Mundial de Combate à Aids em Santa Catarina, e especialmente em Joinville, será marcado para uma realidade preocupante. O Brasil registra um aumento do número de casos de HIV e alta mortalidade devido a aids. A média catarinense é bastante superior à nacional, enquanto a média joinvilense é superior a do estado.

Em Joinville, a média nos últimos três anos foi de 32,9 casos novos de aids para cada 100 mil habitantes ao ano; para SC o número foi 31,3. A taxa de mortalidade em Joinville foi de 7,1 óbitos para cada 100 mil habitantes ao ano; em SC o número foi 6,7.

Para enfrentar esta realidade, a Secretaria da Saúde de Joinville realiza nesta quinta-feira (29) uma ação para a realização de teste rápido do vírus HIV, transmissor da doença. A iniciativa faz parte do Dia Mundial de Combate à Aids, que é lembrado no dia 1º de dezembro.

Há três anos o estado participa de uma Cooperação Interfederativa para enfrentar o problema. Essa cooperação conta com profissionais das três esferas (federal, estadual e municipal), sendo escolhidos 12 municípios prioritários em SC, dentre os quais, inclui-se Joinville. A proposta da cooperação é que o estado trabalhe em conjunto para o enfrentamento da epidemia de HIV/Aids, tendo ações baseadas em um plano único de intervenção.

Das principais ações estão: ampliação de testes rápidos para diagnóstico precoce, acesso ao tratamento, matriciamento e apoio técnico das equipes especializadas com a atenção primária, cuidado compartilhado com atenção primária.

Nesta quinta-feira (29), as pessoas interessadas em fazer o teste devem se dirigir ao Centro de Testagem e Aconselhamento da Vigilância em Saúde, rua Abdon Batista, 172, Centro, no período das 7h30 às 17 horas, com documento de identidade com foto. O teste também pode ser feito nas Unidades Básicas de Saúde.

Como é o teste

O teste é sigiloso e inclui o diagnóstico para Aids e Sífilis. É feito com a retirada de uma gota de sangue. O tempo médio do procedimento é de 40 minutos a uma hora entre as fases de pré-aconselhamento, retirada de uma gota de sangue e o encerramento com o pós-aconselhamento.

HIV é um vírus transmitido através de fluídos corporais (sangue, sêmen e fluído vaginal). Sua principal atuação é atingir as células de defesa do corpo, deixando a pessoa “desprotegida” contra infecções oportunistas. Quando o HIV ataca as células de defesa a pessoa pode desenvolver a síndrome da imunodeficiência adquirida: aids.

Para que o indivíduo não fique doente é necessário que ele tenha o diagnóstico precoce e inicie o tratamento o quanto antes. Ao iniciar o tratamento, o indivíduo se protege da doença e ao dar continuidade regular ao tratamento, ele passa a ter a carga viral indetectável, deixando de transmitir o vírus.

Edição: Felipe Silveira
Foto: Andre Borges/Agência Brasília via Fotos Públicas
Informações: Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *