Leia Mulheres discute obra da escritora ruandesa Scholastique Mukasonga

No dia 24 de novembro, o clube de leitura Leia Mulheres Joinville irá discutir o livro “A mulher de pés descalços”, da escritora ruandesa Scholastique Mukasonga, uma das principais atrações da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) de 2017. O encontro do grupo – que tem como objetivo propor ações para inclusão da presença da mulher no mercado editorial –, ocorre na biblioteca do Sesc Joinville, 470, às 15 horas. A cada mês, o grupo se reúne para debater obras das autoras em diferentes centros culturais e alternativos da cidade. A mediação é feita pela jornalista Marcela Güther.

Sobre o livro

O romance “A mulher de pés descalços” foi escrito em memória de Stefania, mãe da escritora Scholastique Mukasonga, assassinada pelos hutus durante a guerra civil de Ruanda. Às lembranças de um paraíso perdido, onde Stefania era uma senhora alegre e casamenteira, que dava conselhos às moças em torno do amor e da vida matrimonial, mesclam-se imagens terríveis, como o medo constante e busca de esconderijos seguros para salvar seus filhos do extermínio. O livro trata de maneira pungente dos conflitos enfrentados pelas mulheres na Ruanda das lutas fratricidas entre as etnias Tutsi e Hutu, que culminaram com o genocídio praticado pelos hutus em 1994.

Sobre a autora

Nascida em 1956, Scholastique Mukasonga conviveu, desde a infância, com a violência e a discriminação oriundas dos conflitos étnicos em seu país. Em 1960, sua família foi forçada a ir viver em Bugeresa, uma das áreas mais pobres e inóspitas de Ruanda. Anos depois, Mukasonga foi forçada a deixar a escola de serviço social em Butare e ir viver em Burundi. Dois anos antes do genocídio em Ruanda, em que Mukasonga perdeu 37 familiares, ela mudou-se para a França, onde vive até hoje. Além de “A mulher de pés descalços”, a autora já escreveu mais de treze obras, entre elas: “Nossa Senhora do Nilo” (2010), “Baratas” (2006) e “Ce que murmurent les collines” (2014, sem tradução para o português).

Sobre o projeto

O Leia Mulheres é inspirado no #readwomen2014, projeto-manifesto criado pela escritora e ilustradora britânica Joanna Walsh. A ideia por trás da hashtag tem a ver com uma luta cada vez mais compartilhada de empoderar mulheres escritoras que sobrevivem a um mercado editorial com preponderância de vozes masculinas. No Brasil, o movimento, criado em São Paulo há cerca de três anos, já abrange mais de 100 cidades, sendo cinco catarinenses: além de Joinville, há clubes de leitura de autoras mulheres em Florianópolis, Blumenau, Lages e São José. Acompanhe o projeto no Facebook e no Instagram.

O Sesc Joinville fica na rua Itaiópolis, 470, América.

Edição: Fernando Costa
Foto e informações: Leia Mulheres Joinville

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *