Estudantes de Engenhariam Civil da Udesc protestam contra falta de professores

Alunos do curso de Engenharia Civil da Udesc Joinville farão uma paralisação em protesto contra a falta de estrutura do curso nesta quarta-feira (26). A mobilização vai ocorrer em frente à instituição, durante todo o dia. Uma das principais demandas dos estudantes é a contratação de professores efetivos, uma vez que, segundo eles, o número reduzido de docentes ameaça o funcionamento do curso, um dos mais antigos da cidade.

“Ao longo dos anos, vários professores se aposentaram, faleceram ou foram exonerados. E não foram contratados novos para o lugar deles. Temos professores substitutos, que se apresentam como uma solução temporária apenas para o ensino, deixando atividades de extensão e pesquisa de lado. Neste semestre, há matérias na grade curricular que começaram apenas neste mês por falta de professor. A situação é preocupante”, explica Fernando Moraes, um dos alunos do curso.

Os estudantes afirmam que a falta de docentes vem prejudicando a nota do curso no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). No relatório de avaliação do curso, durante visita feita à instituição pelo Conselho Estadual de Educação, em 2016, a contratação de novos professores foi a principal recomendação dada à direção do curso.

“Sugere-se que seja dada atenção a renovação do quadro de professores com dedicação exclusiva porque mais ou menos 30% dos professores do curso possuem mais de 30 anos de tempo de serviço na instituição. Apenas a contratação de professores substitutos não irá suprir a necessidade de garantir os índices do curso que já possui espaço na formação de engenheiros civis no mercado de trabalho”, diz trecho do relatório ao qual os alunos tiveram acesso.

Paralisação e protesto

Segundo os alunos, o objetivo da paralisação é chamar a atenção da sociedade para o problema. Eles contam que já fizeram várias tentativas de diálogo com a reitoria, mas sem sucesso. Em 2017, após o protesto que ficou conhecimento como “LutopeloDEC”, motivado também pela falta de docentes nas salas de aula do curso de engenharia civil, foi aprovada a contratação de apenas um professor, via concurso público. O concurso foi realizado, mas até agora não há previsão para a contratação dos aprovados.

“Nossa ideia é fazer um protesto pacífico, mostrando dados e as consequências da falta de professores para o curso. As turmas estão lotadas e tememos que se nada for feito, o curso acabe perdendo a relevância e excelência pelas quais é conhecido”, explica outra aluna de engenharia civil, Natália Reato Zatera.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Udesc Joinville