Ópera “Madama Butterfly” tem duas apresentações em Joinville

Como parte do 2º Festival de Ópera de Joinville, ocorrem nesta quarta (6) e na quinta-feira (7), duas apresentações da ópera “Madama Butterfly”, do italiano Giácomo Puccini. Talentos locais, nacionais e internacionais estarão no palco da Sociedade Harmonia-Lyra, às 2o horas.

A cantora Masami Ganev, que interpreta a japonesa Butterfly, é uma soprano nascida no Japão. Os solistas são de São Paulo, Curitiba, Florianópolis e três de Joinville. A orquestra é formada por instrumentistas de Curitiba, Blumenau e Joinville. A coreografia será realizada pela Escola Bolshoi de Joinville.

O pianista Matheus Alborghetti mora em Curitiba, mas começou seus estudos e a carreira em Joinville, também faz parte do espetáculo. O diretor musical e regente é o italiano Alessandro Sangiorgi, especializado em ópera, e o diretor cênico, Walter Neiva, é um dos melhores da América do Sul, já dirigiu óperas em vários países.

A direção artística é do barítono Douglas Hahn, de Joinville. Quem assina a produção é Guilherme Gassenferth, de Joinville, e a confecção do figurino é de José Beirão, de Florianópolis. A estes profissionais soma-se uma equipe técnica e de produção inteiramente de Joinville.

O presidente da Sociedade Harmonia-Lyra, Álvaro Cauduro, afirma que a ideia é trabalhar a formação de talentos joinvilenses. “Neste ano, conseguimos dar ainda mais espaço para artistas e técnicos daqui. Este é um papel da Harmonia-Lyra: desenvolver talentos e, futuramente, encenar uma ópera só com joinvilenses, como já se fazia no passado”, destaca.

Segundo ele, é a primeira vez em muitos anos que Joinville recebe uma montagem de ópera tão completa, com figurinos e adereços, orquestra e solistas. “A última vez que se tem notícia de uma montagem de ópera desta dimensão foi há mais de 80 anos”.

Os ingressos estão à venda pelo site TicketCenter, com valores entre R$ 30 e R$ 100, ou nas unidades da MyTarget Idiomas.

A ópera

“Madama Butterfly”, de Giacomo Puccini, retrata uma história que se passa na cidade japonesa de Nagasaki, na primeira década do século 20. O comandante da Marinha americana, Pinkerton, casa-se com a gueixa japonesa Butterfly, mas retorna sozinho aos Estados Unidos, onde se casa com Kate. Butterfly aguarda o retorno de seu amado, e fica sabendo três anos depois que ele está chegando. Mesmo retornando a Nagasaki, Pinkerton não pretende reencontrar Butterfly, até saber que ela tem um filho dele.

A ópera estreou em 1904, no teatro Alla Scala de Milão, e atualmente é uma das mais conhecidas e executadas peças do gênero no mundo.

Edição: Felipe Silveira
Foto: Pablo Teixeira/Divulgação
Informações: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *