Atletas joinvilenses dominam provas de lançamento no Estadual Sub 23

As atletas Ana Lays Bayer, Samara Furtado e Gabriela Xistel, da Associação Corville de Atletismo, fizeram bonito no Campeonato Estadual Sub 23, disputado neste fim de semana em Itajaí. A primeira bateu mais um recorde no lançamento de martelo, ao alcançar a marca de 56,35 metros. A segunda venceu a prova de lançamento de disco e ficou na segunda colocação na prova do martelo. A terceira conseguiu a terceira posição no disco e o quarto lugar no martelo.

Samara conta que ficou feliz pelo bom resultado na primeira competição do ano, mas ainda não está satisfeita com seu lançamento. Ela revela que sentiu a evolução nas duas provas, mas ainda não conseguiu encaixar um bom lançamento no disco. No estadual, ela lançou a 42,18 metros. Na prova do martelo, alcançou 45,08 metros.

As joinvilenses Samara Furtado e Gabriela Xistel subiram no pódio na prova do lançamento de disco

“Como tenho focado mais no disco, o martelo tem ficado um pouco de lado, e mesmo com pouquíssimos treinos consegui uma marca que me colocou em terceiro lugar no ranking brasileiro sub 23. O ano está só começando e estou animada para competir o Brasileiro Sub 23, em abril. A competição estará forte e eu estou focada para ter um bom resultado lá”, afirmou a atleta.

Um pouco mais jovem, Xistel lançou o disco a 34 metros e o martelo a 40,49 metros. “Sinto que tenho muito a melhorar”, avaliou a atleta, que considerou a prova bastante equilibrada.

As atletas da Corville também conseguiram resultados expressivos em outras provas. Ana Paula Vieira se consagrou campeã no heptatlo e no lançamento do dardo. Gabrielly Lespico ficou com a medalha de prata nas duas provas. Letícia Oro Melo venceu a prova do salto em distância e foi vice-campeã no salto triplo. Pietra Russi foi campeã da prova
da prova dos 5 mil metros.

Gaiola avariada

Joinville é o celeiro das principais atletas de lançamento do país no feminino. O recorde brasileiro na prova do martelo, por exemplo, é de Mariana Grasielly Marcelino, revelada em Joinville. Ana Lays Bayer e Samara Furtado também são nomes de projeção nacional. Mesmo assim, os treinamentos ocorrem em condições precárias. No ano passado, a gaiola estava completamente destruída.

Porém, apesar de ter sido reformada em dezembro, a gaiola já está se deteriorando. Um portão, inclusive, já está caindo. “A gaiola ficou pronta em dezembro, e em menos de seis meses já está estragada. É complicado porque temos medo de ficar sem gaiola de novo. Sem gaiola não podemos treinar”, lamentou Samara.

Falta de apoio

Samara conta que falta apoio para o atletismo da cidade. Neste estadual, por exemplo, os atletas tiveram que bancar a própria alimentação. Esta reclamação é recorrente. Em algumas situações, os treinadores e atletas precisam pagar a própria viagem. Com isso, alguns atletas com chances de medalhas deixam de participar de competições importantes.

Samara treina de segunda a sexta-feira na pista e aos sábados na academia perto de sua casa. Ela está no segundo ano da faculdade de nutrição e precisa fazer bolos, brigadeiros e salgados para vender e garantir a renda. “As viagens de competições, roupas e sapatilha de treino, nutricionista, psicólogo e fisioterapeuta saem do meu bolso. Vendo bolos de pote, brigadeiros e alguns salgados no treino e na faculdade pra ajudar na minha renda e em casa. Na parte da manhã minha mãe me ajuda a fazer os bolos e salgados pra vender”, revelou a atleta que é uma promessa do atletismo brasileiro.

Tanto ela quanto Ana Lays Bayer recebem patrocínio da Rôgga Empreendimentos, mas o apoio não cobre todos os custos de atletas de ponta. Para o Brasileiro Sub 23, por exemplo, marcado para abril, em Porto Alegre (RS), Samara já sabe que haverá custos a bancar.

Toda ajuda é bem-vinda

“Nosso clube não tem fins lucrativos, então toda ajuda é bem vinda, seja com passagens, custeamento de alimentação, hotel, tênis, roupas para treinamento e patrocínios para a equipe”, disse a atleta.

Samara contou que o esporte mudou sua vida. “Levou-me pra lugares que eu jamais imaginei um dia chegar, me ensinou valores para a vida e já tirou muitos jovens do caminho do crime e drogas, mas para o nosso sonho continuar vivo precisamos de apoio”, reforçou.

Para oferecer qualquer tipo de ajuda, ela diz, é só entrar em contato com a nossa equipe pela página no Facebook da “Associação Corville de Atletismo” ou pelo Instagram @corville.oficial.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *