Estudantes promovem evento de combate ao machismo na Udesc Joinville

Organizado pelas estudantes do Diretório Acadêmico Nove de Março (Danma), um evento alusivo ao Mês Internacional das Mulheres ocorre segunda-feira (19), no campus joinvilense da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A roda de conversa “Mulheres e Feminismo” será mediada pela fotógrafa e ativista feminista Jessica Michels e está marcada para as 19 horas, no auditório do Bloco F.

Clique na imagem para acessar o link do evento no Facebook

Este não é o primeiro evento para discutir e combater o machismo na instituição de ensino. Na última terça-feira (13), as estudantes pintaram cartazes com mensagens feministas. No mesmo dia foi realizada a palestra “Mulheres na Tecnologia”, discutindo a participação feminina no mercado de trabalho. Além disso, desde o dia 8 elas arrecadam produtos de higiene e limpeza que serão doados para o Centro dos Direitos Humanos Maria da Graça Bráz.

Para Pyettra Ferreira, estudante de Ciência da Computação e coordenadora do Danma, o Centro de Ciências e Tecnologia (CCT) da universidade estadual sempre teve como característica alarmante o número expressivo de estudantes do gênero masculino, mas isso está mudando.

“Esse perfil está tomando outros traços por conta do incentivo à entrada da mulher no ambiente das Ciências Exatas. Na Udesc, o que percebemos hoje é uma insistência positiva de meninas que desejam se formar em áreas antes dominadas por homens, mas com ressalvas. Além desse atributo quase que canônico de ser um ambiente masculino, a Udesc Joinville ainda passa por problemas de misoginia propagada tanto por alunos quanto professores”, revela.

Ela conta que profissionais da área, “até mesmo mulheres”, não depositam confiança no trabalho e no estudo de uma pessoa do gênero feminino quanto depositam no masculino. “É comum ouvirmos comentários do tipo ‘mulher não tem visão espacial’ nas aulas de álgebra ou ‘as meninas não conseguem carregar CPUs’ para aquelas que trabalham no suporte técnico”, exemplifica Pyettra.

Tais machismos, diz a estudante, que muitas vezes são velados, se tornam obstáculos para a graduação de mulheres. Ela explica que isso acaba refletindo nas evasões de curso e, até mesmo, problemas psicológicos ligados a essa descrença no próprio potencial apenas por ser mulher.

Outro problema exposto por Pyettra é o assédio. “É um problema muito recorrente e que acaba sendo produto direto dessa hierarquia social dentro do mundo científico. Um estudante homem sente mais liberdade e segurança para fazer o que bem entende dentro do campus, enquanto a mulher se esconde e tenta não chamar atenção – muitas vezes como tentativa de evitar esses assédios”, conta.

A líder estudantil acredita que este cenário pode mudar por meio da politização do ambiente universitário. Para ela a discussão de gênero dentro da Udesc, seja através de palestras ou grupos de debate, é urgente e necessária. “Acredito que o ponto principal dessas discussões seja expor a rotina de uma mulher dentro do campus e deixar claro, principalmente à população masculina, os machismos diários e os desafios do gênero feminino. Somente através do diálogo poderemos invocar esse tipo de empatia”, finalizou Pyettra.

Para colaborar com a campanha de arrecadação do Danma, basta levar os produtos de higiene pessoal na Udesc Joinville até o dia 29 de março. São aceitos itens como absorvente, desodorante, sabonete, pasta de dente, escova de dente, escova de cabelo, shampoo, condicionador, toalha e amarrador de cabelo.

A próxima atividade será no dia 23, às 15h20, e será uma roda de conversa com o Coletivo Lovelaces e as meninas do diretório acadêmico. “Assédio e iniciativas de combate o machismo” é o tema.

Edição: Felipe Silveira
Foto: Danma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *