Representante do rap gospel de Joinville, Abel Vargas critica comodismo em novo clipe

O rapper joinvilense Abel Vargas lançou, na última quarta-feira (28), o clipe da música “Comodidades”, em que convida as pessoas a largarem a zona de conforto. “As vezes o sofá é muito mais convidativo, a procrastinação bate na porta a todo momento, mas quando queremos algo, é necessário agir no agora”, afirmou o músico.

A música não é nova, é do primeiro disco do artista, lançado em 2012, mas havia uma sugestão do público para gravá-la em vídeo. A parceria com o paulista Fex Bandollero foi a oportunidade para tirar a antiga vontade do papel.

“O que aconteceu foi o seguinte. Meu amigo Fex tinha uma ‘mini-tour’ aqui pelo sul e me ligou pra aprontarmos alguma coisa. Na hora pensei: é agora!”, revelou o rapper, que, assim como Bandollero, tem sua trajetória atual na música gospel (mas não somente neste mercado). Os dois se conheceram há mais de dez anos e já fizeram outras parcerias. Segundo o joinvilense, tem mais vindo por aí em breve.

A produção do clipe ficou por conta de Gabriel Silva e Marcos Vinícius, filmakers experientes quando o assunto é música. Gabriel, por exemplo, é um dos nomes à frente do projeto de música autoral joinvilense Uirapuru. Já Marcos é responsável por diversas produções de uma igreja bastante popular entre a juventude na cidade.

O clipe foi gravado em uma construção abandonada, mas não na primeira tentativa, revelou Abel. “Liguei em um, liguei em outro, trocamos ideias rápidas, pois já conheciam a música, e decidimos local. Quando fomos até o primeiro, estava interditado. Mas, como o ‘freestyle’ faz parte da nossa vida, o Gabriel já tinha outro lugar em mente. Foi nesse que fizemos toda a captação”, contou.

Ele conta com a ajuda do público para espalhar sua música. No primeiro dia do lançamento, comentou que estava animado com a repercussão orgânica, baseada apenas no engajamento das pessoas. Para o músico, cada like, inscrição no canal e compartilhamento é muito importante.

“As pessoas estão me ajudando bastante nisso. Algumas têm receio quando um artista pede essa ajuda, mas é importante deixar claro que likes e compartilhamentos não são um tipo de massagem no ego, mas são coisas importantes para que nosso público receba o que estamos produzindo”, disse ele, criticando as redes sociais que diminuíram o alcance das páginas, o que torna a interação ainda mais importante. “Ou seja, 90% do seu público vai receber se os outros 10% interagirem legal, o que, do meu ponto de vista, é bem injusto.”

Segundo o cantor, há novas músicas novas vindo por aí e mais uma vez ele vai contar com o engajamento da galera que curte o seu trabalho. Seu público, ele diz, é bastante dividido entre cristãos e não cristãos.

“Eu vejo que é bem misto e agradeço a Deus por isso. Eu me esforço pra que minha música se relacione com o cotidiano das pessoas, situações que todos as pessoas vivem, saca? Eu acredito que a mensagem deve transitar livre, sem barreiras, e ás vezes os versos chegam como respostas pra algumas pessoas. Isso é demais! No fim das contas, acho que me apresento mais em eventos sem cunho religioso, e o legal é que o meu repertório é o mesmo.”

Para este público diversificado, Abel Vargas quer passar uma contra o comodismo e, como consequência, a favor do amor.

“Amar gera esforço e precisa de atitude. Muitas pessoas, quando falam de um mundo com mais amor, imaginam várias pessoas na brisa com os dois dedinhos de paz e amor pra cima, mas não, cara. Amor é atitude, é levantar e fazer algo em prol de alguém, estender a mão ao necessitado, e tem bastante gente precisando, bem perto de nós. Às vezes a necessidade é uma cesta básica, um tênis, ou até mesmo um sorriso, um abraço, um eu te amo. O fato é que amar, mais do que sentimento, é tomar atitudes, sair da zona de conforto”.

Veja o clipe

Texto: Felipe Silveira
Foto: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *