Bancada feminina denuncia Roberto Salum no Conselho de Ética da Alesc

O comentário machista feito pelo deputado estadual Roberto Salum (PRB), em discussão com a deputada Ana Paula Lima (PT), rendeu a ele uma representação no Conselho de Ética na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). O protocolo foi feito pela bancada feminina da casa, que, além da própria parlamentar envolvida no caso, ainda é composto por Dirce Heiderscheidt (PMDB) e Luciane Carminatti (PT).

Na sessão do dia 21 de fevereiro, Salum disse à Ana Paula que “não debate com mulher” e que “gostaria de debater com o marido dela”, se referindo ao deputado federal Décio Lima (PT).

Leia também:
Roberto Salum faz comentário machista para Ana Paula Lima na Alesc
Mulheres lotam plenário para protestar contra machismo de deputado

Na sessão do dia 22, Salum voltou a falar sobre o caso. Ao utilizar a tribuna na Alesc e também na sua página no Facebook, disse que a referência feita foi distorcida, pois era para “uma mulher de mente curta e radical”. As declarações renderam um protesto realizado por dezenas de mulheres que foram à Alesc durante uma sessão.

A bancada feminina argumentou que este tipo de atitude “não é mais admissível e que deve ser repudiada, como toda a forma de violência e discriminação contra a mulher, inclusive a violência simbólica que, neste caso, alcança maior proporção quando praticada por um parlamentar que deveria zelar pelo cumprimento das normas constitucionais e fazer a defesa dos direitos humanos e da equidade”.

As deputadas da bancada feminina da Alesc afirmam que o deputado feriu a dignidade e a honra não só de uma parlamentar, mas de toda a coletividade das mulheres catarinenses. Por isso, elas pedem uma retratação pública e uma punição exemplar, com o intuito educativo e inibitório, sob pena de se aceitar tais práticas discriminatórias no interior do parlamento.

Texto: Alexandre Perger
Foto: Divulgação/Alesc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *