Comitiva de gestores catarinenses embarca para missão no Panamá

Uma delegação formada por 22 gestores catarinenses embarca no próximo domingo (25) para a Missão no Panamá, que terá o objetivo de prospectar negócios no país da América Central. Será realizado um tour de negócios na Zona Livre de Cólon e participação na 35ª Expocomer, considerada uma vitrine para quem quer importar ou exportar a preços competitivos.

O objetivo da comitiva é prospectar novos negócios, fortalecer network e acompanhar as tendências de mercado. Após City Tour na segunda (26), com visita ao Canal do Panamá, o grupo segue na terça (27) para a Zona Livre de Cólon, cerca de 80 km da Cidade do Panamá, reconhecida como a maior zona franca das Américas e a segunda do mundo depois da China. No local, a delegação vai sondar novos fornecedores – são mais de três mil atacadistas – e conhecer o ambiente de negócios do maior entreposto comercial livre de impostos.

De acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio SC), que organiza a missão, há uma série de fatores que torna o Panamá atrativo: mix de produtos diversificados, economia dolarizada e a facilidade de escoamento de mercadorias. Dessa forma, o país atrai, principalmente, os olhos de empresários dos setores atacadista, varejista, têxtil, construção, tecnologia e serviço.

Nos dias 28 e 1, o roteiro será na maior feira multissetorial da América Central, a Expocomer, que reúne 650 expositores de 37 países nesta edição. Em uma área de 14 mil m² disponibiliza uma grande variedade de produtos dos setores industriais, comerciais e de serviços da América, Ásia, Europa e Caribe.

Além dos incentivos fiscais oferecidos no país, que tornam o processo de importação mais vantajoso, é possível comprar mercadorias em quantidades pequenas, atendendo especialmente as necessidades das PMEs, que representam cerca de 98,2% das empresas do setor terciário em SC.

“O pequeno e médio empresário tem a possibilidade de comprar diversos produtos em pouca quantidade e fechar um contêiner com mais de 500 itens diferentes, por exemplo. Ainda tem a questão logística- o país é um hub de distribuição- e a localização estratégica entre a América do Norte e da do Sul, com acesso ao Atlântico e Pacífico”, aponta o diretor executivo da Federação, José Agenor de Aragão Junior.

“O Panamá tem ótimas oportunidades de investimentos e uma excelente estrutura voltada para empresários estrangeiros, pois o governo estimula e cria um ambiente produtivo para o desenvolvimento desses negócios. Também não podemos esquecer que o Panamá é membro da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), o que o torna um país ideal para entrar no mercado americano, além ter diversos acordos bilaterais”, afirma a gerente comercial de importação e exportação, Julieta Gutiérrez, que integrará o staff para auxiliar na tomada de decisão.

Edição: Alexandre Perger
Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *