O que os vereadores disseram na terceira sessão do ano

O jornal O Mirante destaca os principais comentários dos vereadores em cada sessão ordinária. As observações são feitas durante o espaço destinado à tribuna, momento em que os parlamentares falam sobre o que querem. As falas relacionadas aos projetos em votação entram nas matérias específicas sobre casa um. Veja os destaques desta quarta-feira (7):

Maurício Peixer (PR) disse que os vereadores são cobrados, muitas vezes, de maneira injusta pela população. Ele citou como exemplo situações em que promessas foram feitas e atrasaram ou foram esquecidas. Porém, sem poder de execução, nada podem fazer.

Ana Rita Negrini Hermes (PROS) concordou. Ela estava comemorando a liberação de fichas de castração pela Prefeitura e comentou que as vereadoras estavam sendo cobradas pelo atraso nas liberações, mas que não podiam fazer outra coisa que não fosse pressionar o Executivo.

Richard Harrison (PMDB) comentou que o drone, recebido pela Polícia Civil via doação e por intermédio do deputado estadual Patrício Destro (PSB), não resolve o problema da segurança. “Helicóptero de brinquedo”, provocou.

Odir Nunes (PSDB) sugeriu que a Fundação do Meio Ambiente de Joinville (Fundema) foi extinta porque contrariava interesses de poderosos da cidade. Atualmente, os temas relacionados ao meio ambiente são tratados pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (SAMA).

A próxima sessão ordinária vai ocorrer na próxima quarta-feira (14), após o Carnaval.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Arquivo CVJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *