Alesc libera cerveja em estádios e ginásios catarinenses

Ocorreu na tarde desta quarta-feira (20) a votação que liberou a comercialização e o consumo de cerveja em estádios, ginásios e outras praças esportivas catarinenses. Por 20 a 13, os deputados estaduais votaram a favor do Projeto de Lei 476/2015, de autoria dos deputados Rodrigo Minotto (PDT) e Manoel Mota (PMDB). O PL segue para sanção do governador.

Leia o projeto original

Assim que começou a discussão, o deputado Roberto Salum (PRB) desafiou a polícia catarinense a mostrar que a bebida potencializa a violência nos estádios. Este era um dos principais argumentos da proibição. “Se me provarem, eu mudo meu discurso”, falou o parlamentar.

Para Antonio Aguiar (PMDB), estádio não é lugar de beber. O parlamentar ainda disse que, na condição de médico, pode provar que a bebida alcoólica causa acidentes e isso vai gerar despesas para a saúde pública. Outro deputado contrário à liberação foi Ismael dos Santos (PSD), que acusou as cervejarias de “pagar mal seus marqueteiros”, enquanto apontava a faixa “Sem cerveja, estádio vazio”. Disse o pessedista: “que frase patética”. Gerson Merísio, destacando seu lado torcedor, também se manifestou contrariamente às cervejas nos estádios por causa da questão da violência.

Os autores do projeto também se manifestaram. Minotto reclamou dos colegas. “É lamentável”, disse ele, afirmarem que os deputados que votarem sim estarão votando a favor da violência. Já Mota afirmou que, se fosse assim (aumento da violência por causa da bebida), seria necessário acabar com a Oktoberfest, “que bebe em uma noite o que o estádio vai vender em um ano”.

Maurício Eskudlark (PR) se valeu da condição de ex-delegado para dizer que as pessoas mudam por causa da bebida. “A gente deixava o cidadão sentado e meia hora depois ele era outro”, lembrou.

“Meu voto é sempre sim”, disse Nilson Gonçalves (sem partido). Ele ainda comentou que apanhou em estádio com e sem bebida. Também citou a briga em Joinville, em 2013, entre torcedores do Vasco e do Atlético Paranaense. “Lá foi sem bebida”, concluiu.

A matéria, que recebeu aval da Comissão de Cidadania e Justiça (CCJ) no fim da tarde de terça-feira (19), recebeu emenda do deputado Ricardo Guidi (PSD), que garante que até 20% da cerveja comercializada nos estádios será de origem artesanal.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Torcedor inglês que ficou famoso durante a Copa do Mundo de 2014 por causa de seu estado alcoólico. O clique é de Felipe Pereira/UOL. Leia a história de Stan Field aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *