Udo Döhler não quis negociar com trabalhadores em greve no recesso

A greve dos servidores municipais que trabalham durante o recesso começou na segunda-feira (11), mas o prefeito Udo Döhler marcou a reunião entre trabalhadores e prefeitura apenas na sexta-feira (15), último dia de trabalho antes do início do recesso. Dessa forma, seria impossível fazer outra reunião de negociação antes do recesso.

E foi isso que aconteceu. O prefeito recebeu os representantes do Sindicato dos Servidores Públicos de Joinville (Sinsej) na manhã de sexta-feira (15), mas se recusou a negociar o motivo da greve. Para os trabalhadores, Udo negligencia a falta de materiais, de funcionários e do pagamento do abono para quem permanece em serviço neste período.

Em assembleia, os trabalhadores decidiram manter o movimento grevista como resposta à “truculência do governo. O movimento começou há mais de um mês, no dia 9 de novembro, quando foi declarado estado de greve e anunciadas as reivindicações. Participam do movimento, principalmente, trabalhadores dos museus e da Saúde (hospitais e Pronto-Atendimentos).

Eles reivindicam o pagamento de adicional pelo cumprimento de jornada entre os dias 16 de dezembro deste ano e 1º de janeiro de 2018. Neste período, todo o restante da categoria estará em recesso. Além disso, pedem melhoria das condições de trabalho, pois estão faltando profissionais, medicamentos, materiais de limpeza e desinfecção, álcool, ataduras, gaze, entre outras coisas.

Os servidores e o Sinsej lamentam os transtornos gerados e pedem o apoio da comunidade para cobrar o governo a negociar.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Prefeitura de Joinville
Informações: Sinsej

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *