Depois de cinco anos, JEC Futsal está de volta à decisão da LNF

O JEC Futsal venceu duas vezes o Foz Cataratas neste sábado (11) no Centreventos Cau Hansen. Goleou por 6 a 0 no tempo normal com gols de Jackson (2), Fernandinho (2), Fernando e Leco. Na prorrogação, após sair perdendo, Fernandinho empatou e Leco, no minuto final, anotou o gol que selou a vitória e a classificação para a terceira final da história tricolor.

Início de uma tarde de sábado ensolarada na maior cidade de Santa Catarina, desde às 10 horas a torcida do Joinville pintou o entorno do Centreventos com as cores tricolores. A chegada do JEC, por volta das 10h30, foi silenciosa, por um portão nos fundos do ginásio os jogadores entraram no palco do espetáculo concentrados e focados no objetivo: vencer o Foz Cataratas para levar o jogo para a prorrogação.

Goleada no tempo normal

Logo aos dois minutos de partida, Fernando ganhou dividida de Venâncio. A bola sobrou para Fernandinho, que tocou para Fellipe Mello. Ele dividiu com Willian e Fernando, de trás, bateu forte, rasteiro, estufando as redes de Gian Wolverine. O segundo gol nasceu de uma jogada duvidosa em que o time do Foz pediu falta de Fernandinho sobre Daniel Feitosa. A bola sobrou para Fernando que fez assistência para Fernandinho marcar na saída de Gian, aos quatro minutos.

Perdido no jogo, o Foz usava das faltas para tentar parar os catarinenses. Aos sete minutos, em cobrança de tiro-livre, Jackson acertou o canto esquerdo baixo de João Paulo. O goleiro chegou a tocar na bola, mas não evitou o gol. Aos 11 do primeiro tempo, Junai deu um ganchinho da defesa, Leco ganhou na velocidade de Daniel Feitosa e a divida com Leanderson e bateu duas vezes para marcar o quarto.

Assista aos gols de JEC 6 (2) x (1) 0 Foz Cataratas

O quinto foi o mais bonito do jogo e veio em menos de um minuto de diferença para o quarto. Fernando repôs a bola ala-direita da defesa. Xuxa dominou no peito, deixou a bola quicar e inverteu para a ala-esquerda encobrindo dois marcadores, onde estava Fernandinho. De primeira, o camisa 83 tocou de perna esquerda entre as canetas de Gian Wolverine, marcando o segundo dele no jogo.

Aos 16, Jackson cobrou outro tiro-livre. Forte, rasteiro, no canto direito de João Paulo, fechando o placar do primeiro tempo e do jogo: Joinville 6 a 0. No segundo tempo, Luciano Bonfim e Vander Iacovino pouparam seus times para a prorrogação. Era importante concentrar e não cometer faltas, pois as penalidades do segundo tempo seguem na prorrogação. O tempo final, sem gols, ficou marcado por duas faltas paranaenses e uma catarinense. Veio então, a prorrogação e Foz Cataratas foi para o tudo ou nada.

Virada na prorrogação

Com a marcação baixa, o Joinville passou os primeiros três minutos sofrendo com o adversário na sua quadra. Ao tentar tirar o time de trás, Vander colocou em quadra Fernando, Jackson, Xuxa e Fernandinho. A três minutos e meio, Daniel Feitosa fez passe em diagonal entre as pernas de Fernando, Vini apareceu nas costas de Fernandinho e tocou de bico entre as pernas de Willian. Foz 1 a 0 no primeiro tempo da prorrogação. Imediatamente Jackson vestiu a camisa de goleiro-linha e o JEC foi em busca do empate, mas o primeiro tempo da prorrogação terminou com vitória do Foz Cataratas.

Felipe Melo (foto) vibra com o gol marcado por Fernandinho na prorrogação.

Aos três minutos, o tricolor fez linha de passe na ala-esquerda. Eka, Xuxa, Fernandinho. Fernandinho centrou a jogada e Léo Evangelista cortou em cima da linha. Léo Costa tentou dominar, atrapalhou-se e Fernandinho tocou por elevação na saída de Gian Wolverine empatando o jogo. Festa para cerca de 2,5 mil tricolores presentes no Centreventos, que com esse resultado já garantia vaga na final.

Aos quatro minutos, Daniel Feitosa, no gol-linha, passou a bola para Léo Costa, que não dominou, mas recuperou-se e tocou para Feitosa. Fernando dividiu com ele e Vini, ganhou e a bola sobrou para Leco, de perna esquerda, caindo rolar a bola (imagem em destaque). Mansamente a bola rolou, tocou o poste direito e morreu na rede. Até o apito final, dois jogadores do Foz foram expulsos: Vini  após agredir Willian e Canabarro depois de chutar a bola no árbitro.

Terceira final da história

Esta é a terceira final da história do Joinville. Em 2007, o time perdeu para Jaraguá, enquanto em 2012 caiu para o Orlândia. O adversário desta temporada sairá do confronto entre Assoeva e Marreco. O primeiro jogo no Paraná terminou empatado em 2 a 2. Quem vencer no tempo normal classifica, novo empate leva o jogo para a prorrogação. O time de Venâncio Aires (Assoeva), do Rio Grande do Sul, terá a vantagem do empate.

Alívio para Vander Iacovino

No fim do jogo, o técnico Vander Iacovino falou aliviado sobre o jogo decisivo. “Eu estou feliz da vida, a semana foi de muito trabalho, difícil no sentido de fazer as coisas corretas. Conhecíamos bem o adversário, já tínhamos enfrentado eles. Agora é curtir um pouquinho, porque segunda-feira já recomeça o trabalho”, disse Iacovino, que teve, durante a semana, anunciada a renovação de contrato para 2018.

VÍDEO: Após a partida, o repórter Marcos Aurélio Carvalho e o comentarista Maicon Silva analisaram a classificação do Joinville. Confira abaixo:


Texto: Marcos Aurélio Carvalho
Fotos: Vitor Forcellini
Vídeo: Yan Pedro Kuhnen

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *