Deputados estaduais criticam aprovação do “distritão”, aprovado na Câmara Federal

Deputados de vários partidos criticaram, na manhã desta quinta-feira (10), durante sessão na Assembleia Legislativa (Alesc), em Florianópolis, a aprovação do “distritão” para a escolha de deputados federais, deputados estaduais e vereadores. A medida foi aprovada na madrugada de quarta para quinta-feira (10) pela Comissão da Câmara dos Deputados, por meio de uma emenda ao texto que trata das mudanças no sistema eleitoral, juntamente com a criação de fundo de R$ 3,6 bilhões para campanhas políticas.

Para vigorar nas próximas eleições, entretanto, a proposta ainda terá que passar até outubro por votações em dois turnos nos plenários da Câmara e do Senado.

Para os deputados Altair Silva (PP) e Ismael dos Santos (PSD), a adoção do distritão, em substituição ao modelo proporcional, vai enfraquecer os partidos políticos ao permitir ao eleitor votar apenas em candidatos e não mais nas legendas ou coligações.

“O distritão vai tornar os partidos meras peças no processo eleitoral, justo em um momento em que o Brasil mais precisa do fortalecimento das suas instituições”, disse Silva. “Sempre me coloquei de forma muito ferrenha contra o voto em lista porque entendo que os partidos se tornariam balcões de negócios, principalmente nos pequenos municípios, onde candidatos não têm votos, mas tem poder”, acrescentou Ismael.

Rodrigo Minotto (PDT)

“Trata-se de uma manobra jurídica daqueles que querem se manter no poder. Se isto for aprovado, teremos uma exclusão das minorias e do próprio regime democrático, o que não pode acontecer. Acho que a população tem que ir para as ruas e impedir que isto aconteça”

Luciane Carminatti (PT)

“Você terá, na verdade, a concentração do poder. Pode ser bom para os deputados atuais, mas não para a democracia, pois os caciques eleitorais, os que têm mais exposição e capilaridade, terão vantagem e os bons nomes não terão vez. Quero deixar a minha preocupação com esse grande acordão que está sendo feito para manter os atuais parlamentares”.

Edição: Yan Pedro Kuhnen
Foto: Vitor Shimomura/Agência AL
Informações: Agência AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *