Com Lúcio Flávio de titular, Joinville enfrenta Botafogo na Arena

Com Lúcio Flávio entre os titulares, o Joinville entra em campo neste domingo (6), às 15 horas, na Arena, para enfrentar o Botafogo, de Ribeirão Preto. A partida é válida pela 13ª rodada do grupo B da Série C. Segundo o técnico Pingo, a saída de Fernandinho do time “é uma mudança tática”.

“Necessitamos de mais controle de bola e o Lúcio Flávio é um jogador que se enquadra bem”, disse o treinador em entrevista coletiva na sexta-feira. O experiente jogador, pouco utilizado por Pingo até então, vai ocupar a ala esquerda do meio-campo.

4-4-2 é o esquema tático utilizado por Pingo

Batendo na trave para entrar no G4 há rodadas, o Tricolor se vê em situação perigosa: precisa vencer o líder para continuar próximo ao grupo que classifica para o mata-mata da competição. O JEC tem 15 pontos, está na sétima posição e a três pontos do quarto colocado Ypiranga. Mas, para ultrapassar o clube gaúcho, o Joinville terá de tirar uma diferença de cinco gols de saldo (+4 a -1).

Joinville e Botafogo é o último jogo da rodada, que teve as outras quatro partidas disputadas neste sábado. Fora de casa, o Ypiranga bateu o Macaé por 2 a 0. Em Minas Gerais, Tombense e Volta Redonda ficaram no 0 a 0. No duelo de paulistas, o Bragantino venceu o Mogi Mirim por 1 a 0. Quem também saiu vencedor foi o São Bento, que derrotou o Tupi por 2 a 0.

Após a derrota por 3 a 1 para o Tupi, a equipe e o técnico sofreram críticas. Em consenso, os jogadores pediram para que as entrevistas coletivas fossem feitas após o treinamento, obrigando a imprensa a permanecer durante os treinamentos. Na opinião dos atletas, parte das críticas nesta semana foi injusta.

Sobre os comentários vindos da arquibancada, que devem estar cheias impulsionadas por uma promoção de Dia dos Pais, Pingo afirma que é entender as razões de desconfiança e descrédito por parte do torcedor. “A cobrança da torcida tem um motivo. O Joinville vem há dois anos em queda, então o torcedor tem toda razão. Temos que ter equilíbrio e personalidade para entendermos as críticas, pois elas são normais”, relatou Pingo.

Texto: Yan Pedro Kuhnen
Foto: Beto Lima/JEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *